Seja bem vindo!



Cubatão é mesmo uma cidade incrível, com uma vocação artística surpreendente. Para mostrar tudo isso é que foi criado este espaço virtual. O blog é dedicado a toda e qualquer manifestação cultural produzida aqui. Todos os segmentos da arte reunidos sem complicação ou frescura. Entre em contato...

artesdecubatao@gmail.com



sexta-feira, 27 de agosto de 2010

'CAMINHOS DA INDEPENDÊNCIA' CONFIRMA ELENCO PRINCIPAL

Encenação contará com Carlos Casagrande, Monique Alfredique, Júlio Rocha, Lourimar Vieira e grande elenco. A peça acontece de 5 a 7/9 ao ar livre

A nona edição da peça "Caminhos da Independência" já tem os nomes do elenco principal confirmados. Entre eles estão os atores Carlos Casagrande (Dom Pedro I), Julio Rocha (José Bonifácio), Monique Alfradique (Maria Leopoldina), Vitor Branco (Padre), Lourimar Vieira (Dom João VI e Seu Couto), idealizador do espetáculo, e Fabiano di Mello como narrador da história. A encenação acontece de 5 a 7/9, às 20h, em uma arena ao ar livre montada na Avenida Beira Mar, no Jardim Casqueiro, com capacidade para duas mil pessoas. Os ingressos serão trocados por um quilo de alimento não perecível.

Sob direção de Amauri Alves, este ano a peça contará um pouco sobre a passagem de Dom Pedro I por Cubatão, horas antes de proclamar a Independência do Brasil. “Na Cidade, ele tomou um chá que mudou a história do país: vítima de uma forte diarréia, Dom Pedro foi socorrido por uma senhora, de nome Maria do Couto, que o curou com um chá de goiabeira, permitindo assim que ele continuasse a viagem de volta à capital. Só por isso, a Independência do Brasil não foi proclamada às margens do Rio Cubatão”, afirma Lourimar Vieira.

O "Caminhos da Independência" já se tornou referência na região, e é considerado o segundo maior espetáculo teatral a céu aberto realizado na Baixada Santista. Faz parte do calendário oficial de eventos de Cubatão. O texto da peça em 2010 é do cubatense Cícero Gilmar Lopes. Conta, ainda, com a atuação de pelo menos 180 atores cubatenses. Todos os grupos teatrais da cidade foram convidados a participar.

Carlos Casagrande: modelo internacional, é ator desde 1998. Já trabalhou em novelas da rede Globo (Malhação, Pecado Capital, Andando nas Nuvens), Band, Record, SBT, além de filmes longa-metragens (Lisbelça e o prisioneiro, Primavera).

Julio Rocha: iniciou a carreira de ator aos 14 anos de idade. Estudou no Teatro Escola Célia Helena, e depois na Faculdade de Teatro do Rio de Janeiro. Seu primeiro papel de destaque foi como o JB na novela Duas Caras, da Rede Globo. Já trabalhou em pelo menos 10 novelas desta emissora.

Monique Alfradique: entrou para a televisão como paquita da Xuxa. Depois de fazer algumas participações em Malhação e Da Cor do Pecado, conseguiu seu primeiro papel de protagonista na novela A Lua Me Disse. Já participou de Malhação, 'Dança no Gelo', no Domingão do Faustão, além de outras novelas e minisséries da mesma emissora. Também tem trabalhos no teatro e Cinema.

Vitor Branco: ator e autor teatral. Na televisão, integrou o elenco da novela "A Próxima Vítima" e faz o personagem mafioso em "A Praça é Nossa", do SBT. Participou de dezenas de peças teatrais, dentre elas ¨Novela das Oito"; "Nove Semanas e Meia de Amor", "Uma Noiva para Dois", "Disquei 0900 e me estrepei", "Entrando numa fria" e "Até o diabo faz milagres". Em 2006 e 2007, fez turnê com a peça "Entrando numa fria". Em 2009 montou "Até o Diabo Faz Milagres".

Texto: Morgana Monteiro

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

FESTIVAL DE TEATRO AMADOR DE CUBATÃO ABRE INSCRIÇÕES DIA 31/8

O tema este ano é "Teatro sem fronteiras". A competição acontece de 1 a 15/11.

Já começaram os preparativos para o 13º Festac, Festival de Teatro Amador de Cubatão. Os grupos interessados em participar da competição podem se inscrever de 31/8 a 15/9, gratuitamente, na Secult (Secretaria de Cultura de Cubatão), que fica na rua Assembléia de Deus, 435, no Parque Anilinas. Outra informações podem ser obtidas através do telefone 3362-0850 ou pelo e-mail contatofestac@gmail.com .

Os espetáculos serão divididos em mostras competitivas adulto e infantil/infantojuvenil. Nas duas categorias haverá premiação de R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais) para o 1º colocado; R$ 1 mil (um mil reais) para o 2º lugar e R$ 700,00 (setecentos reais) para os que ficarem na 3º posição. Os grupos vencedores serão escolhidos por uma seleta banca de jurados, com nomes a serem divulgados ainda.

A Competição vai funcionar novamente como uma Mostra em que os grupos teatrais se apresentam para a comunidade, gratuitamente, sendo julgados por suas performances, ao mesmo tempo. As apresentações acontecerão de 1 a 15/11 no Bloco Cultural, Teatro Kaos e espaços alternativos como a esplanada do Paço Municipal e praças da cidade.

Festac sem fronteiras - este ano, o Festival tem como tema "Teatro sem fronteiras". Um dos motivos é a expansão dos limites da competição, que, ao longo dos anos, vem reunindo não apenas grupos teatrais cubatenses, mas de toda a região da Baixada, interior e até de outros estados brasileiros. "Em 2009, por exemplo, uma companhia carioca competiu no Festival e grupos de Minas Gerais e Paraná tentaram se inscrever. Só não competiram porque não conseguiram se cadastrar a tempo", afirmou Lúcia Oliver, uma das organizadoras do Festac.

A abertura oficial do Festival acontece dia 31/8 às 17h no Bloco Cultural e contará com apresentações musicais do programa BEC (Banda Escola de Cubatão), Coral Canto Mágico, Simone Ancelmo e da cantora Silene. Haverá também perfomances cênicas do Projeto Nossa Vida como ela é, Grupo Zabelê de Cultura Popular, além de exposição das obras do artista plástico Giovane Nazareth e do fotógrafo Sander Newton.

Serviço
Inscrições para o XIII FestacDe 31/8 a 15/9
Local: Secult – Secretaria de Cultura de Cubatão
Rua Assembléia de Deus, 435 – Parque Anilinas
Informações: 3362-0850 e contatofestac@gmail.com
 
fonte: http://www.cubatao.sp.gov.br/

CORAL ZANZALÁ BRILHA EM CONCERTO DIDÁTICO

A apresentação foi na Escola Técnica de Música e Dança de Cubatão na 1º Semana da Voz
.
A noite desta quarta-feira (25/8) foi mais alegre e emocionante para quem esteve na Escola Técnica de Música e Dança de Cubatão “Ivanildo Rebouças da Silva”. Foi lá que um bom público, entre alunos do Conservatório e comunidade, assistiram ao Concerto Didático do Coral Zanzalá. A apresentação especial fez parte da 1º Semana da Voz, que durante estes dias, oferece pequenos espetáculos de corais e outras formações vocais, estimulando, assim, a participação dos alunos nos cursos.

O Zanzalá ofereceu um verdadeiro banquete musical aos espectadores, abarcando canções de todos os gêneros em um repertório bastante eclético. A ideia, segundo a Regente Maria Fernanda Tavares, é mostrar a versatilidade do Grupo. Das canções negro spirituals à música sacra, passando pela Música Mundial e MPB: nada ficou de fora. O resultado foi uma plateia encantada. O público se surpreendeu com os arranjos vocais de “Isn't love” (Stevie Wonder), “Faltando um pedaço” (Djavan) que contaram com o acompanhamento do pianista Décio Arruda.

Após cada canção, a regente Maria Fernanda e a regente assistente Nailse Cruz traziam informações e curiosidades sobre o canto coral, além de peculiaridades sobre cada uma das nove músicas apresentadas. Destaque para o samba “Feijoada completa” (Chico Buarque) que recebeu um tratamento todo especial do arranjador André Protázio, e para as canções “Love of my life” e “Somebody to love” que integram o projeto “Queen Sinfônico” realizado pelo Coral Zanzalá em parceria com a Banda Sinfônica de Cubatão. Todos os coralistas se sentiram emocionados em participar dessa apresentação, afinal, o Zanzalá surgiu como um projeto experimental dentro do Conservatório na década de 70 e permanece ensaiando durante todos esse tempo em uma sala da Escola Técnica. “Esse Concerto Didático é mais do que um agradecimento. É o momento em que nós podemos retribuir o carinho a esta casa que nos acolhe há tantos anos”, arrematou Nailse Cruz, regente assistente do Coral.

Agenda – O Zanzalá já tem uma agenda de apresentações para o mês de setembro: dia 11/09 às 19h30 estará no Palácio das Artes de Praia Grande. E no dia 12/09 participa do projeto “Domingo às 11” no Teatro Guarany, em Santos, às 11h, com entrada gratuita.

Texto e fotos: Morgana Monteiro

ARTISTAS CUBATENSES PARTICIPAM DA 1º MOSTRA DE ARTE CONTEMPORÂNEA CAIÇARA


Em 28 de agosto, artistas de várias áreas se reúnem na Casa da Frontaria Azulejada, no Centro Histórico de Santos

Músicos e compositores, coreógrafos e dançarinos, artistas plásticos, fotógrafos, escritores, intelectuais e representantes de diversas expressões culturais do litoral paulista se reúnem no final de agosto, em Santos, na I Mostra de Arte Contemporânea Caiçara, que acontece no dia 28, sábado, a partir das 14 horas, na Casa da Frontaria Azulejada, no Centro Histórico.

O objetivo da Mostra é celebrar a arte por meio do encontro entre manifestações tradicionais e obras mais ligadas à vanguarda, bem como fortalecer a produção artística local na busca de expressão universal. A idéia é apresentar ao público em um só local uma série de produções artísticas e reflexões sobre a arte produzida na região e sua relação com a identidade local.

“Queremos resgatar nossas tradições e misturá-las ao contemporâneo, estimular a pesquisa e a criação artística, a produção, o intercâmbio e a difusão cultural, conectar a expressão artística regional à global e oferecer ao público uma intervenção entre música, dança, teatro, literatura, circo e artes visuais em evento de improvisação coletiva”, afirma Márcio Barreto, do Percutindo Mundos, grupo de música caiçara contemporânea, e curador da mostra.

A programação começa com uma atividade para crianças e adolescentes, simultaneamente às exposições visuais: “Olhares Marítimos” que reúne fotografias de Biga Appes, Adilson Félix, Márcio Barreto, Tito Wagner, Raquel Ramires, Helena Araujo, Isabel Nascimento e Christina Amorim. Estarão na mostra as esculturas “Aluminarte”, de Anak Albuquerque e Giovane Nazareth (Cubatão /SP)e também os trabalhos de Chico Melo (Ateliê 44 - Santos /SP)) e Cris Oliveira com suas esculturas em areia, “ A Incrível Arte do Equilíbrio”, de Galeno Malfatti (São Vicente /SP), e “Arte DuLixo”, de Tubarão, mais a gravura “Valongo”, de Fabrício Lopez (Estúdio Valongo), “Cores no Dique” e "Sobre Mar Madeira e outros Animais" , arte visual de Maurício Adinolfi com Luciana Ramim e Gabriel Netto, “Retratos” da artista gráfica Nice Lopes, os cartazes do Coletivo Action, com a série “Supremacia Caiçara”, a arte de Evelise Aguião e o grafite de Valério da Luz (Ateliê 44)e Hugo Leal (Interagestudio).

Das artes cênicas e circenses, o evento apresentará “Ciranda Caiçara”, projeto que une arte e meio ambiente (Escola Municipal Lucio Martins Rodrigues - São Vicente /SP), “Pagu Mulher” com Maíra de Souza e o grupo Gaia´thos e Escola Livre de Circo da Oficina Regional Cultural Pagu (Santos /SP), a atriz Christy-Ane Amici (“Atro Coração” - Teatro Canoa). Depois se apresentam os índios Guarani Mbya da Aldeia Paranapuã de São Vicente.

Para refletir sobre a identidade da região, o jornalista Alessandro Atanes, mestre em História Social, faz a miniconferência “Caiçara, Portuário, Oceânico”, com inserção de canções do projeto “Rota Literária”, sobre como a arte e a literatura mostram a região.

Às 18 horas, começa uma nova série de apresentações: Meire Berti e o Coral Fosfértil Baixada Santista apresentam “Indianismos”, a dançarina e coreógrafa Célia Faustino mostra a coreografia “Exílios: Cartas ao Vento”; outras coreografias são de Rita Nascimento, “Palavras ao Mar”, Erika Karnouchovas com "O corpo como cenografia do eu" junto com os perfomers Ildefonso Torres Filho, Aline Cassiane, Natan Brith, Andrea Azevedo, Fabiana Miler e Tabata Barboza e videoinstalação do videomaker e jornalista, Eduardo Riccie. A bailarina e escritora (doutotra em pedagogia pela USP)Kiussam de Oliveira apresenta “Afrodescendência” e Poliana Nataraja com sua Arte Visionária, fundindo arte e espiritualidade.Fernanda Carvalho apresentará oficina de improvisão em dança, preparando o público para a intervenção coletiva do evento.

Entre os escritores, Flávio Viegas Amoreira apresenta trechos de “Escorbuto” e José Geraldo Neres (Santo André /SP) lê “Outros Silêncios”, além de Ademir Demarchi, editor da revista Babel, Jap Krichinak do Museu de Arte Popular de Diadema,Edson Bueno de Camargo (Mauá /SP), Lucas Carrasco (São Paulo /SP), Victor Valente e Fernando Diegues, Marcelo Ariel (Cubatão /SP), que acaba de lançar o livro de poesia “Conversas com Emily Dickinson”.

Com participação do compositor Gilberto Mendes, as atrações musicais reúnem Zéllus Machado e Trio Kaanoa (música caiçara), o pianista Tarso Ramos, a compositora Carla Fá, Percutindo Mundos - O Universo em Movimento, com sua Música Caiçara Contemporânea, Mirianês Zabot (São Paulo /SP), Olhos de Carla com Daniel Mac Adden Jr e João Maria, a discotecagem do Futuráfrica com o DJ Lufer, Henrique Crispim (São Paulo /SP) e o grupo Sidarta com Rogério Baraquet.
Às 21h30, para encerrar a Mostra, artistas e público interagem em uma intervenção multimídia, reunindo música, teatro, dança, literatura e artes visuais criando uma obra coletiva.

O curador Márcio Barreto explica a iniciativa de reunir vários artistas em um só evento: “A I Mostra de Arte Contemporânea Caiçara justifica-se pela necessidade de promover reflexões e debates sobre identidades culturais e sua importância para o cenário mundial, assim como assegurar e difundir o rico patrimônio artístico caiçara e sua relação com o global”. No ensejo da Mostra será debatido a instituição do "Dia do Caiçara" no calendário oficial de Santos e a arrecadação de mantimentos para a aldeia dos índios Guarani Mbyá de Paranapuã, São Vicente /SP. Gilberto Mendes será homenageado pelo conjunto e profundidade de sua obra.

Realização: Márcio Barreto (Instituto Ocanoa/Projeto Canoa – São Vicente / Brasil).

Apoio: Marta Molina (Artefacto Cultural – Barcelona /Espanha).
Natalia Freire (Instituto CAE – Santos /Brasil).
Secretaria de Cultura de Santos,
Secretaria de Cultura de São Vicente,
Secretaria de Cultura de Cubatão,
Fundação Arquivo e Memória de Santos,
Oficina Cultural Regional Pagu,
Instituto CAE - Vozes da Senzala,
Instituto de Pesca de Santos,
Instituto Artefato Cultural,
Instituto Camará - Ponto de Cultura (São Vicente / SP),
Revista Pausa.

Divulgação:
Alessandro Atanes e Márcia Costa (Revista Pausa e Instituto Artefato Cultural)

Programação
14 hs – Abertura
Música:
DJ Lufer - Futuráfrica
Artes Visuais:
Biga Appes, Chirstina Amorim, Raquel Rá, Adilson Félix, Helena Araujo, Isabel Nascimento, Giovane Nazareth, AnaK Albuquerque, Chico Melo, Valério da Luz, Mauricio Adinolfi, Hugo Leal, Tubarão Arte Dulixo, Fabricio Lopez, Márcio Barreto, Galeno Malfatti, Evelise Aguião, Coletivo Action, Tito Wagner, Nice Lopes, Luciana Ramim, Gabriel Netto, Natalia Freire, Cris Oliveira, Eduardo Ricci
14:15 – Ciranda Caiçara - Teatro
14:30 – Gaia´thos - Circo
14:45 – Christyane Amici – Atro Coração – Teatro
15:00 – Victor Valente - Literatura
15:15 – Márcia Costa - Literatura
15:30 - Bhakti Shakti – Música
15:45 – Kiussam de Oliveira – Dança
16:00 – Poliana Nataraja - Dança
16:15 – Marcelo Ariel - Literatura
16:30 – Christina Amorim – Literatura
16:45 – Guarani Mbyá – Música e Dança
17:00 – Célia Faustino – Dança
17:15 – Olhos de Carla – Música
17:30 – Flávio Viegas Amoreira – Literatura
17:45 – Homenagem a Gilberto Mendes - Tarso Ramos
18:00 - Alessandro Atanes – Literatura, Música
18:15 - Tarso Ramos
18:30 – Sidarta - Música
18:45 – Meire Berti - Coral Fosfertil – Música, Literatura
19:00 - José Geraldo Neres – Literatura
19:15 – Rita Nascimento – Dança
19:30 – Edson Bueno de Camargo - Literatura
19:45 - Erika Karnouchovas – Dança
20:00 – Jap Krichinak – Literatura
20:15 – Mestre Sombra – Capoeira
20:30 – Lucas Carrasco – Música e Literatura
20:45 – Mirianês Zabot – Música
21:00 – Tubarão Arte Dulixo - Literatura
21:15 – Zéllus Machado e Trio Kaanoa – Música
21:30 - Fernanda Carvalho – Dança, Improviso
21:45 – Percutindo Mundos – Música
22:00 – Intervenção Coletiva – Música, Literatura, Dança, Teatro, Circo e Artes Visuais

http://www.percutindomundos.blogspot.com/
http://www.atrocoracao.blogspot.com/
www.myspace.com/percutindomundos
http://www.institutoocanoa.org/

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

VINTE ANOS DE BOA MÚSICA

Banda Marcial de Cubatão completa duas décadas de competência e orgulho para a cidade

Ela emociona platéias e é sucesso por onde passa. A Banda Marcial de Cubatão comemora 20 anos, cheia de boas notícias e em busca do aperfeiçoamento de seus integrantes e de seu repertório. Uma das marcas do grupo tem sido a presença junto à comunidade. Mantendo o perfil das bandas de desfile, a Marcial põe os pés no chão e segue adiante com seu som inconfundível.

A Marcial recebeu aplausos calorosos durante apresentação
no Conservatório de Tatuí (interior SP)
Se, para alguns, a apresentação da Banda Marcial é o ponto alto durante os desfiles cívicos, para outros, a sua formação de concerto encanta e surpreende. "Hoje buscamos uma sonoridade única através de uma combinação instrumental inusitada", afirma o maestro Alexandre Felipe Gomes, um de seus fundadores e atual regente. Recentemente, a equipe recebeu aplausos calorosos de uma seleta platéia no Conservatório de Tatuí (interior de São Paulo), durante apresentação de um concerto com temas de filmes. O reconhecimento pelo trabalho, feito com afinco, já virou rotina. Inclusive, a comemoração das duas décadas de boa música já tem data definida: será dias 16 e 17/10, quando a Marcial se apresentará no Bloco Cultural, dividindo o palco com 14 artistas da cidade.

Mas todo esse sucesso começou em um imóvel de cor laranja, no nº 433 da Rua Fernando Costa, na Vila Paulista. Carinhosamente chamada de “Casa da Banda Marcial”, é neste espaço que o Grupo ensaia todas as manhãs de domingo. Formada por 119 integrantes (músicos e bailarinas do Corpo Coreográfico) com idade entre 14 e 30 anos, a Marcial de Cubatão vem expandindo a linha de atuação com os instrumentos de metal e percussão, seguindo o modelo europeu contemporâneo. Hoje, atuando também na versão de Orquestra de Metais e Percussão, abarca todos os gêneros, percorrendo uma linha que vai da música erudita a clássicos da MPB e música internacional; isso, além de estimular o surgimento de várias formações de câmara, a exemplo do já conceituado “Per Sonare” – Sexteto de Metais e Percussão. Potencial de sobra e versatilidade já garantiram repetidas atuações da banda em encontros como o Festival Internacional de Bandas no Chile, um dos mais importantes da América Latina – fato que, inclusive, irmanou as cidades de Mellipila e Cubatão.

O Maestro Alexandre Felipe Gomes,
fundador e um dos maiores apoiadores
da Banda Marcial
Uma história inesquecível – O maestro Alexandre ainda lembra da primeira apresentação pública da Marcial: "Foi no desfile cívico de 9 de Abril de 1990, como Fanfarra Municipal de Cubatão. Tínhamos como sede a Escola Estadual Castelo Branco, no Jardim Casqueiro. Na época, a professora Edna Maria Lemos Moura passou a descentralizar as atividades culturais, dando assim possibilidade de acesso a uma fatia maior da nossa população aos projetos artísticos", relata, emocionado.

Nos primeiros anos, a então Fanfarra atendia a diversos convites, sempre representando Cubatão. Neste período, percorreu mais de 50 cidades paulistas. Em 2003 aconteceu, naturalmente, a oficialização como Banda Marcial, grupo artístico integrante da Secretaria de Cultura e Turismo da cidade.

O grupo artístico tem um corpo técnico completo, mantido financeiramente pela Prefeitura Municipal. Além do maestro titular, conta com o regente assistente, Paulo Henrique de Paiva Souza, e, ainda, a coordenadora do Corpo Coreográfico, Gislaine Teixeira, uma coordenadora administrativa, uma arquivista e montadores. Outra peça fundamental na "engrenagem" da Banda Marcial é o coordenador de eventos, Miltom Custódio, que acompanha o Grupo desde a sua fundação.

Exportando talentos – Em todos esses anos, muita gente boa passou pela Banda Marcial. De acordo com o maestro Alexandre, 1.500 jovens cubatenses já participaram do grupo durante essas duas décadas. Um exemplo disso é Reginaldo Nascimento, hoje diretor da Escola Técnica de Música e Dança de Cubatão "Ivanildo Rebouças da Silva". Reginaldo iniciou os estudos musicais quando a Banda ainda era Fanfarra. Hananias Messias, atual maestro da Banda Musical de Cambuquira (MG), também é outro importante nome da regência que começou sua história na Marcial. "Sempre que encontro os integrantes antigos, surgem lembranças maravilhosas de um passado inesquecível", arremata Alexandre.

Banda Marcial de Cubatão encanta por onde passa
O grupo ainda mantém a função de uma escola profissionalizante. Vários músicos que começaram na Marcial ingressaram nas Orquestras Sinfônicas de Santos, Santo André, Heliópolis, Experimental de Repertório, Banda Sinfônica Jovem do Estado de SP, Banda dos Fuzileiros Navais (RJ), Banda do 2º BIL (São Vicente). E o processo não pára. Há três anos foi criada a Banda Marcial Infantil. Atualmente são 60 meninos e meninas que percorrem o mundo encantado da música, desde as primeiras notas, passando pela teoria e solfejo, que os torna capazes de lerem uma partitura musical, até a prática. A garotada, com idade entre sete e 16 anos, é a prova viva de que a magia das bandas – de desfile ou de concerto, não importa – continua viva no coração das pessoas.

Texto: Morgana Monteiro
Fotos: Dilson Mato Grosso (arquivo)

ELISABETH SAVALA APRESENTARÁ PEÇA DE TEATRO GRATUITA EM CUBATÃO

O espetáculo acontece na cidade nos dias 24 e 26 de setembro e faz parte do projeto "Teatro de graça na praça"

A prefeita Marcia Rosa recebeu nesta segunda-feira (23) a visita da atriz da Rede Globo, Elizabeth Savala. Ela veio ao município, acompanhada do marido e produtor Camilo Áttila, para apresentar o projeto "Teatro de graça na praça", que tem como objetivo a inclusão cultural. A encenação é feita ao ar livre e já passou por mais de 130 municípios.

Visando levar cultura gratuita e de qualidade para a população, a prefeita Marcia Rosa aprovou o projeto e já reservou as datas 24 e 26 de setembro deste ano para a apresentação do espetáculo em Cubatão. A peça estrelada, nos dois dias, será a comédia "Friziléia, uma esposa à beira de um ataque de nervos". Os horários das apresentações ainda não foram decididos, mas são os bairros do Centro e do Casqueiro que receberão o espetáculo. A entrada é gratuita e a duração da peça é de aproximadamente 1h20m.

A atriz fala que a sensação de apresentar uma peça de teatro ao ar livre e para milhares de pessoas é única. "No início, a platéia fica inquieta, mas como todos nós gostamos de uma história, em menos de 15 minutos, o público se envolve, identifica e fica atento ao espetáculo. É fascinante observar as reações das pessoas". Ela também elogia atitudes como a da prefeita de levar espetáculos teatrais gratuitos para pessoas que não tem condições de ir ao teatro.

A peça - Interpretada por Elizabeth Savala, Friziléia é uma mulher comum que se casou por pressão da sociedade e se tornou uma dona-de-casa. A personagem remete a uma nova versão da "Amélia", do cancioneiro popular, mas com um final diferente. Ela está à beira de um ataque de nervos por causa do cansaço da rotina e das obrigações de esposa, mãe, irmã, nora e mulher.

O espetáculo "Friziléia, uma esposa à beira de um ataque de nervos" narra algumas passagens do dia em que ela chega ao limite. Cansada de ser explorada por todos e para chamar atenção para sua condição de vítima, Friziléia começa a pensar em inúmeras formas cruéis e dolorosas de cometer suicídio.

Texto: Carla Martuscelli
Foto: Serafim Neto

terça-feira, 24 de agosto de 2010

O MENINO MALUQUINHO FAZ 30 ANOS EM PLENA FORMA

“O Menino Maluquinho”, de Ziraldo, completa 30 anos em plena forma. O livro chega neste ano à centésima edição, criada em homenagem ao autor. Com a marca de 2,5 milhões de exemplares, o título está disponível em 11 idiomas e é comercializado em 21 países. A edição comemorativa terá apenas mil cópias.

Quem ainda não conhece essa bela história ou gostaria de relembrar as peripécias de Maluquinho, pode se deliciar com os exemplares disponíveisn a Biblioteca Central de Cubatão. Para levar o título pra casa por alguns dias, basta fazer o cadastro na Biblioteca que fica na av. 9 de Abril, 1977. É preciso levar RG e comprovante de residência.

Para Ziraldo, a comemoração da terceira década do livro dá a sensação de dever cumprido. “É a glória. Dá muita alegria, porque é uma coisa boa que deu certo”, afirmou. O livro mantém Ziraldo em constante contato com as crianças. “Vou muito a colégios. Gosto de conversar com as crianças de 8 a 11 anos, que estão descobrindo seu papel no mundo”, afirmou. Para o autor, o sucesso de ‘O Menino Maluquinho’ se deve ao fato de a história falar do sentimento humano, da saudade, do afeto, da carência. “Mudaram as circunstâncias. Não tinha computador, jogos eletrônicos, internet. O menino maluquinho soltava pipa, balão, era politicamente incorreto. O mundo muda, mas o ser humano não muda. Até hoje tem menino que é Jesus Cristo e tem menino que é diabinho. Tem espaço para tudo”, disse.

Além do papel, o livro tem ainda uma versão digital e é o terceiro e-book mais baixado do país, segundo a editora Melhoramentos. Mesmo com a ótima marca do livro na internet, Ziraldo lembra da importância da leitura em papel pelas crianças. “Nenhum pai pode deixar o filho chegar ao computador sem passar pelo livro. Não adianta ser craque em tecnologia e não saber quem é”, disse. O autor escreve agora livros para a série “Os Meninos dos Planetas”. Já saíram os títulos da Lua, Urano, Terra. Está agora escrevendo sobre Mercúrio. “Sai um por ano. Tem mais seis. Não posso morrer”, afirmou entre risadas.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

II DANÇA CUBATÃO ESTÁ COM INSCRIÇÕES ABERTAS

Estão abertas até dia 20/9 as inscrições para o II Dança Cubatão. O evento acontece dia 25/9 às 18h no centro Esportivo Castelão (rua Embaixador Pedro de Toledo, 365). Os trabalhos poderão ser elaborados em qualquer modalidade, dividido nas categorias infantil e adulto, podendo ter grupos mistos; não existe limite de idade. Podem participar grupos de dança, de escolas ou bailarinos independentes. Vale lembra que o festival é uma Mostra de Dança e não uma competição, por isso, não haverá premiação. No entanto, todos os que se apresentarem recebem certificados de participação.

As inscrições da MOstra de Dança devem ser feitas na Escola Técnica de Música e Dança "Ivanildo Rebouças da Silva" que fica na av. Nações Unidas, 168, na Vila Nova. Os interessados também podem se cadastrar através do email g_palcoecia@yahoo.com.br . Outras informações estão disponíveis pelo telefone 3375-1460 e 3372-9236.

fonte: Jornal Reação Popular

QUEEN SINFÔNICO LOTA TEATRO DO SESC EM SANTOS

Banda Sinfônica de Cubatão e Coral Zanzalá brilharam na noite deste domingo (22/8), com teatro lotado. A apresentação fez parte do projeto Tocando Santos.

A Banda Sinfônica de Cubatão e o Coral Zanzalá brilharam no Teatro de Sesc em Santos com o espetáculo “Queen Sinfônico”. A apresentação deste domingo (22/8) lotou os 785 lugares na platéia. Meia hora antes do espetáculo começar, muita gente ainda procurava por ingressos - que já haviam se esgotado no dia anterior. Os fãs do Queen compareceram em massa, independentemente da idade. A impressão era de que todos pareciam prestar homenagem a uma das bandas de rock mais importantes da história da música.

No palco, mais de 140 artistas, entre músicos e cantores, interpretaram 13 canções imortalizadas pela estrela maior do Queen, o vocalista Freddie Mercury. As composições, feitas originalmente para uma banda de rock, receberam versões coral-sinfônicas, sem, contudo, perderem seu vigor. “Bohemian Rapsody”, “Radio ga-ga”, “We are the champions”, “We will rock you”: a cada canção, o público se encantava com o som diferenciado dos Grupos Artísticos de Cubatão.

Fabrício Rodrigues e Daniela Martins intrepretaram "How can I go on"
O “Queen Sinfônico” contou, ainda, com a participação de solistas, cantores cubatenses como Anderson Borges. O dueto de Fabrício Rodrigues e Daniela Martins em “How can I go on” levantou a platéia, que ao fim da canção, aplaudiu em pé. O espetáculo tem sido sucesso por onde passa. Desde estreou, ano passado, já foram nove apresentações em Cubatão, cidades da Baixada Santista e até interior do estado.


A direção musical do Maestro Marcos Sadao Shirakawa (regente da Sinfônica) trouxe novamente ousadia, sua marca registrada. Destaque também para as maestrinas Maria Fernanda dos Santos Tavares e Nailse Cruz, respectivamente, regente titular e regente assistente do Zanzalá, responsáveis pelo trabalho de preparação dos solistas e demais atuações vocais. Esta apresentação no Sesc integrou o projeto Tocando Santos, que entra na sua 16º edição reunindo os mais importantes grupos sinfônicos do estado. Aqui da região, apenas a Banda Sinfônica, Coral Zanzalá e Orquestra de Santos foram convidados a participar.

Texto e fotos: Morgana Monteiro

Queen Sinfônico lotou o Teatro do Sesc...
... levando o trabalho de ponta feito pelo Coral Zanzalá (foto) e Banda Sinfônica.

RINASCITA ABRE PROJETO "MANHÃS MUSICAIS NA BIBLIOTECA" EM CUBATÃO


A música renascentista invadiu cada pedaço da Biblioteca neste sábado (21/8)

A Biblioteca Municipal de Cubatão ficou completamente diferente neste sábado (21/8) logo cedo. Isso porque o Grupo Rinascita fez uma apresentação especial, abrindo o projeto “Manhãs Musicais na Biblioteca”. A ideia é oferecer mais uma opção cultural e de lazer nos fins semana ao público, durante a temporada de inverno.

O som do Rinascita deixou com outro clima a manhã de quem estava estudando na Biblioteca ou simplesmente passou por lá para apanhar um livro emprestado. O Grupo é especializado em melodias barrocas e renascentistas, também conhecidas como “Música Antiga”. No repertório, havia um pouco de tudo: desde a galharda, pavana até aquelas canções que pareciam nos levar para os grandes salões de baile da Idade Média.

Nas mãos dos integrantes estavam réplicas de instrumentos musicais dos séculos XIV a XVII, feitos artesanalmente, como alaúde e uma família de flautas doces. Embora muitas pessoas achem que esse tipo de Música é elitizada, o Rinascita luta para mostrar justamente o contrário. Nasceu como um grupo experimental, em 1974, dentro do Conservatório Musical de Cubatão. O objetivo era levar ao grande público, melodias renascentistas e barrocas, canções essas que os músicos aprendiam em sala de aula. Em 1986 foi oficializado como projeto integrante da Prefeitura de Cubatão.

Atualmente o Rinascita tem 16 músicos e no fim de junho foi tombado como patrimônio imaterial de Cubatão através do Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural da cidade. O Rinascita leva a música de época por meio de apresentações, concertos didáticos em escolas, praças e espetáculos que reúnem saraus de poesia.



Texto e fotos: Morgana Monteiro

CUBATÃO RECONHECE A IMPORTÂNCIA DO CEMITÉRIO ISRAELITA

O tombamento vai ser dia 25/8 às 14h e haverá visita monitorada até o espaço; a historiadora Beatriz Kushnir, diretora do Arquivo Geral do Rio de Janeiro, participará da solenidade.

Cubatão resgata a memória da imigração judaica, definitivamente, na semana que vem. O Cemitério Israelita, abrigado dentro do Cemitério Municipal será tombado como patrimônio histórico da cidade, através da assinatura do decreto pela Prefeita Marcia Rosa. A solenidade será dia 25/8 (quarta-feira) às 14h, e logo após, será realizada uma visita até o Cemitério Israelita. Este promete ser o pontapé inicial de um processo que não se limita à uma lei, mas abrange também um programa de educação patrimonial, com reabertura do espaço para visitação pública com monitores e inclusão em roteiros históricos.

O tombamento é resultado do esforço do Condepac, Conselho de Defesa do Patrimônio Artístico de Cubatão e tem total apoio da Chevra Kadisha, Associação que administra os cemitérios israelitas no estado. O local tem 800 metros quadrados e 75 sepulturas feitas em granito (55 de mulheres e 20 de homens), sendo que a lápide mais antiga data de 1924 e a mais recente é de 1966. A curiosidade habita no fato de lá estarem enterradas em sua maioria, as chamadas “polacas”, mulheres judias que no início do século XX deixaram o leste europeu atingido pelo anti-semitismo em direção à América com a promessa de casamentos, mas acabaram sendo exploradas na região.

Este será o segundo cemitério israelita considerado patrimônio histórico no Brasil e o primeiro tombado definitivamente. O Cemitério Israelita de Inahúma, no Rio de Janeiro, foi tombado provisoriamente em 2007, segundo Beatriz Kushnir, historiadora e Diretora do Arquivo Geral da Prefeitura carioca. Ela também estará aqui em Cubatão para participar da assinatura do decreto. Beatriz escreveu o livro "Baile de Máscaras: mulheres judias e prostituição" em que defende o resgate cultural da história dessas mulheres. O "campo-santo" de Cubatão também está presente nas páginas da publicação.

Há 22 anos debruçada e envolvida por essas trajetórias, Beatriz Kushnir recebeu com entusiasmo o convite para estar presente na assinatura do decreto e considerou ótima a possibilidade de abertura do Cemitério à visitação pública. "Achei fantástico! É uma ideia a ser copiada por vários outros cemitérios pelo país, independentemente da peculiaridade que possuem. Fiz um passeio destes em New Orleans, nos Estados Unidos, e em Praga, na Europa, e foram muito interessantes nos aspectos de arquitetura e de traços culturais", comentou a historiadora.

Beatriz Kushnir conta que em 1988, quando a pesquisa sobre as "polacas", era um tabu mencionar essa história. Interessante é verificar como um trabalho acadêmico pôde interferir e transformar uma realidade. Mas, segundo Beatriz, "conhecer as identidades dessas mulheres e das outras pessoas sepultadas nesses 'campos-santos' só faz sentido quando sabemos de quem estamos falando. Mais do que apenas nomes, são histórias de vida. Repito, então, as palavras do rabino Sobel, torcendo para que estas sejam palavras proféticas em Cubatão: rezamos hoje 'El malê rachamim' em memória das mulheres sepultadas nesta área do cemitério. Que cada uma delas descanse em paz", encerra.

Texto: Morgana Monteiro
fonte: www.cubatao.sp.gov.br

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

MANHÃS MUSICAIS NA BIBLIOTECA DE CUBATÃO

Projeto leva música de ótima qualidade à Biblioteca Municipal. Começa dia 21/8 às 10h com a apresentação do Grupo Rinascita

Boa música para começar o fim de semana com tudo! O projeto "Manhãs musicais na Biblioteca" tem início neste sábado (21/8) às 10h com a apresentação do Grupo Rinascita de música medieval. O programa deve se tornar mais uma opção de lazer para moradores da cidade e foi criado através da Secult, Secretaria de Cultura e Turismo de Cubatão.

A idéia do projeto é levar música de qualidade de artistas cubatenses, como o belíssimo trabalho desenvolvido pelos Grupos Artísticos de Cubatão. Além do Rinascita se apresentarão em outras datas, os Corais Zanzalá e Raízes da Serra, Quartetos e Quintetos da Banda Sinfônica, da Banda Marcial, Camerata deViolões do BEC (Banda Escola de Cubatão), e do projeto Cubatão Sinfonia.

Neste pequeno concerto de sábado, a promessa do Grupo é de proporcionar uma viagem no tempo embalada por canções que eram sucesso nos salões de baile Na Europa dos séculos XIV e XVIII. "O diferencial do Rinascita, além, é claro, da musicalidade, está no fato do Grupo tocar com instrumentos musicais réplicas dos utilizados nas épocas renascentista, barroca e idade média, como guitarra barroca, alaúde, violoncelo, família de flautas e percussão", afirma o regente do Rinascita, Albino de Oliveira.

O Rinascita foi criado há 35 anos e recentemente, foi declarado bem imaterial de Cubatão através de um decreto-lei sugerido pelo Condepac – Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural da cidade. Esse processo representa o reconhecimento de uma equipe formada na década de 70 de maneira experimental mas que, ao longo do tempo, tornou-se referência, sendo hoje o único grupo de Música Antiga na região com grande número de integrantes: 16 músicos.

Texto: Morgana Monteiro
Fotos: Arquivo/Dilson Mato Grosso

ABERTAS INSCRIÇÕES PARA OFICINAS DO CURTA SANTOS

Cursos para atores e crítica são abertos a moradores de toda a Baixada Santista

Até 31 de agosto estão abertas inscrições para as oficinas gratuitas do 8º Curta Santos – Festival Santista de Curta Metragens. São duas as opções para os interessados de toda a Baixada Santista: “Preparação de Atores”, com a equipe do Studio Fátima Toledo, e “Desenvolva seu olhar e seja um crítico de cinema”, com o jornalista, publicitário e crítico de cinema Celso Sabadin. As inscrições para as duas oficinas devem ser feitas no site do festival (www.curtasantos.com.br).

Fátima Toledo é conhecida pela preparação dos elencos dos filmes “Cidade de Deus” e “Tropa de Elite” e dos atores Vinícius de Oliveira em “Central do Brasil”, de Walter Salles, e Simone Spoladore em “Desmundo”, de Alain Fresnot, entre outros.

Celso Sabadin iniciou sua carreira como crítico cinematográfico em 1979. Atuou em vários veículos e produziu e apresentou programas sobre trilhas sonoras de cinema nas rádios USP, Brasil 2000 e 89FM. Durante 12 anos foi apresentador, roteirista e crítico de cinema na Rede Bandeirantes de Televisão, BandNews e Canal 21. Realizou a cobertura jornalística de mais de 50 festivais de cinema nacionais e internacionais. Realizou a produção e a Curadoria da Mostra Cine Santander Espanha e do 1º Festival Cinema do Coração. É membro da APCA - Associação Paulista dos Críticos de Arte e autor dos livros “Vocês ainda não ouviram nada, a barulhenta História do Cinema Mudo” e “Éramos Apenas Paulistas”, biografia do cineasta Francisco Ramalho Jr. Atualmente é crítico de cinema da Rádio Bandeirantes, dos sites Cineclick, 100% Vídeo e Planeta Tela, e da Revista de Cinema.

Curta Santos 2010 – Nesse ano o festival apresenta o tema "Só os Loucos Sabem...". Serão quatro mostras competitivas (Olhar Caiçara Independente, Olhar Caiçara Universitário, Videoclipe Brasilis e Videoclipe Caiçara) e quatro mostras não competitivas (Curta Cris, Curta Matinê, Mostra de Longas, Olhar de Rua e Só os Loucos Sabem), além de oficinas, workshops, palestras e bate-papos com profissionais da área.

Texto: Alessandro Atanes

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

BANDAMARCIAL APRESENTA: "MÚSICA BRASILEIRA PARA CRIANÇAS"!


A ideia, da Banda Marcial e Coral Infantil do Projeto Renascer, leva educação musical a meninos e meninas de escolas da cidade. A primeira apresentação é dia 24/8.

A Banda Marcial de Cubatão e o Coral Infantil Projeto Renascer dão início a um programa que vai levar educação musical a alunos da pré-escola. O projeto "Música Brasileira para crianças" começa dia 24/8 com duas apresentações: às 14h na Escola Técnica de Música e Dança de Cubatão e às 15h30 na Escola Estadual Lincoln Feliciano (Vila Nova). Os concertos acontecerão sempre às terças-feiras no período da tarde e os colégios interessados em receber o projeto devem agendar pelo telefone 8119-2389.

As músicas que ensinam a molecada a escovar os dentes e comer suas verduras continuam lá, mas desta vez, aliadas às cantigas de cunho infantil, de roda e do repertório brasileiro, tudo em novo formato, cheio de detalhes e com a qualidade técnica da Banda Marcial, já conhecida por todos. O Maestro Alexandre Felipe Gomes é quem coordena o projeto e promete apresentações bastante criativas e divertidas, sempre contando com a participação dos estudantes.

A ideia é estimular nas crianças a capacidade de percepção dessas canções de uma maneira lúdica e prazerosa. "O contato com a música na idade pré-escolar estimula a sensibilidade, imaginação e criatividade. Nosso objetivo é que esses concertos funcionem como uma 'recreação educativa', socializando e desenvolvendo a atenção dessa meninada", explica Milton Custódio, coordenador de eventos da Banda Marcial.

Desde muito pequena a garotada está em contato com a música. A mãe costuma cantar para o bebê, que também ganha brinquedos musicais, e até na mais tenra idade, a meninada já ensaia os primeiros passos de dança ao ritmo da melodia que é sucesso dentro de casa. E o contato com a música justamente na pré-escola facilita o entendimento e aprendizado: é o que os cientistas chamam de "riqueza sensorial". Pesquisas mostram que meninos e meninas que têm contato com a música desde pequenos são bons leitores, capazes de se concentrar melhor e controlar seus movimentos, se socializam facilmente e desenvolvem a autoestima. O projeto "Música Brasileira para crianças" também destaca a versatilidade e empenho social de dois programas desenvolvidos através das políticas públicas do município: Banda Marcial e Coral Infantil Renascer que seguem unindo educação e cultura, valorizando a juventude da cidade.

Texto: Morgana Monteiro

terça-feira, 17 de agosto de 2010

LIVRO QUE PRESTA HOMENAGEM À VILA SOCÓ É RELANÇADO

Dedicado às vítimas da tragédia de Vila Socó, em 1983, o livro “A Revolta da Vacina”, do historiador Nicolau Sevcenko, volta às livrarias em nova edição.


Em entrevista ao jornalista Wilker Souza, publicada na edição de agosto da Revista Cult (http://revistacult.uol.com.br/home), Sevcenko avalia os dois episódios como pertencentes à estrutura social “retrógada” que o País não soube alterar mesmo após o final da escravidão. “Fica muito evidente, no contexto da Revolta da Vacina, como o país não tinha uma resposta para sair da escravidão na direção da construção de uma sociedade integrada, equilibrada e distributiva”, explica o historiador.

Essa rotina de adoção, por parte dos governos, de instrumentos ineficazes para atacar a raiz dos problemas, se repete no caso da Vila Socó. “Quando escrevi o livro, eu o dediquei aos mortos da tragédia de Vila Socó, ocorrida em 1983, em Cubatão. Naquela ocasião, houve um vazamento nas redes de distribuição de derivados de petróleo das refinarias e a população pobre da região foi se abastecer daquele combustível precioso. A favela se expandiu em cima das áreas ensopadas e as poucas pessoas que tentaram fazer alguma espécie de clamor para que a autoridade pública removesse a população dali não obtiveram sucesso. O fato é que ninguém tinha coragem de atacar o problema, muito menos a autoridade pública, pois ela negocia votos. Logo, quanto mais gente morasse lá, mais votos. Então aquilo cresceu exponencialmente até o dia em que virou uma tocha e todo mundo que estava lá foi reduzido a cinzas”.

O historiador lembra ainda do momento, 1983, em que a primeira edição do livro, considerado “amargo’ pelo próprio autor, foi lançada. “Eu venho de uma geração que lutou contra a ditadura militar, contra o obscurantismo da censura e da repressão. A juventude era estigmatizada como uma força turbulenta e ‘baderneira’, pois não se podia viver com espontaneidade a condição de ser jovem. Nós tínhamos a expectativa de que, quando a ditadura acabasse, toda essa enorme massa crítica ia se traduzir em um projeto de transformação do Brasil, traduzir-se em uma sociedade distributiva, democrática e inclusiva, mas não foi isso que se deu”. “A revolta da vacina” é um lançamento da editora Cosac & Naify (www.cosacnaify.com.br).

Texto: Alessandro Atanes
fonte: http://www.cubatao.sp.gov.br/

ESCRITOR CUBATENSE LANÇA LIVRO DE CONTOS

O escritor Cícero Gilmar Lopes, autor dos textos de seis das sete edições do espetáculo “Caminhos da Independência”, lança nesta quarta-feira (18), às 19 horas, no Bloco Cultural de Cubatão, sua primeira coletânea de contos.

“O livro das respostas para todas as perguntas”, com histórias escritas nos últimos anos. A obra foi selecionada por meio de edital público pelo Programa de Ação Cultural (Proac) da Secretaria Estadual de Cultura, sendo publicada pela Editora Livre Expressão, do Rio de Janeiro.

Aos 50 anos, Cícero conta que, apesar de sempre ter sentido vontade, começou a escrever por volta de 1987, quando passou a participar de oficinas de Teatro. No ano 2000, começou a escrever contos para participar do Mapa Cultural e tomu gosto pelas histórias curtas, que acabaram levando o autor a ser selecionado pelo Proac.

O livro – A maior parte das 27 histórias de “O livro das respostas para todas as perguntas” foi escrita entre 2000 e 2005. A produção mais recente, conta o autor, está na gaveta, amadurecendo. “Antes, assim que acabava uma história eu passava logo para as pessoas lerem; depuro mais agora, ponho na gaveta”.

Assim como o protagonista do conto “João não gostava de briga”, os personagens de Cícero são pessoas que levam uma “vidinha pequena”, mas que se encontram em situações significativas, como uma morte, uma separação, um momento em que tomam importantes decisões ou simplesmente uma epifania. São vidas ordinárias em situações extraordinárias. É o caso da esposa que tem o marido levado pela repressão militar, ou do próprio João, que não gostava de brigar, ou de outro João, o Gostoso, que, morrendo de fome, começa a comer pedaços do próprio corpo.

Há ainda dois contos em que a literatura é a protagonista. Em um deles, “A crítica”, a relação entre escritores e críticos é mostrada por meio da relação entre uma crítica de arte demolidora e um escritor iniciante. No outro, “O criador de histórias” um autor, cansado das histórias que criava, busca um novo início para uma nova história que nunca chega.

Serviço:
“O livro das respostas para todas as perguntas”
Lançamento: dia 18, quarta-feira, às 19 horas.
Local: Bloco Cultural de Cubatão

Texto: Alessandro Atanes
Fotos: José Mário Alves

TALENTO DA BANDA MARCIAL DE CUBATÃO PARTICIPA DE CURSO NA FRANÇA


Sabrina Araújo embarca amanhã para estudar no Festival de Música de Limoges, um dos mais importantes da Europa.

Que jovem músico já não pensou em sair do seu país, viajar por novas terras conhecendo outras culturas? Uma integrante da Banda Marcial de Cubatão tem, agora, a oportunidade incrível de vivenciar o que estava apenas no campo da imaginação: Sabrina Araújo embarca nesta terça-feira (17/8) para a França para estudar trompete. Ela foi convidada para participar do Festival de Música de Limoges, considerado um dos mais importantes da Europa.

Aos 24 anos e há dois integrando o naipe de trompetes da Banda Marcial, Sabrina encontrou neste Grupo Artístico de Cubatão, o incentivo para continuar se aperfeiçoando. Sua paixão pela música começou aos 12 anos, ao ingressar na Banda Marcial do colégio em que estudava, em Ribeirão Preto, interior do estado. Aos 15 anos já lia partituras e adotou o trompete como instrumento musical. Formada em Música pela USP, Universidade de São Paulo, a história da viagem internacional começou em janeiro deste ano, quando Sabrina participou da Oficina de Música de Curitiba, no Paraná. Lá, teve aulas com o professor francês Piérre Dutot, que a reconheceu como um dos grandes talentos musicais do congresso.

A musicista conta que o convite para a viagem chegou no fim do mês passado: "Levei um susto quando recebi a informação de que iria participar do Festival! Afinal, são poucas pessoas no mundo convidadas a integrar o grupo de estudantes bolsistas. Me senti lisongeada", explica, feliz da vida. Ela vai passar duas semanas na França estudando cerca de seis horas por dia – teoria e prática - e deve, ainda, participar de oficinas, concertos, e acompanhar apresentações de Orquestras e Bandas de várias partes do mundo.

Para a estudante, essa viagem para o exterior, além de ampliar seus conhecimentos musicais e experiência de vida, é uma grande oportunidade para divulgar a música brasileira. "Se eu for convidada para mostrar a música do meu país, já estou preparada. Vou apresentar o nosso 'chorinho' aos europeus", diz a musicista. E afirma que já colocou na mala as partituras de canções como "Carinhoso", "Rosa" e "Doce de côco".

Um desejo comum à grande maioria dos jovens músicos é aperfeiçoar sua arte na Europa, berço da música clássica. O Festival de Limoges deve possibiltar à essa estudante um intercâmbio que reúne formação técnica e vivência cultural. "O contato com uma realidade diferente é sempre uma experiência enriquecedora. No caso de estudantes de música, o contato com a música erudita feita na Europa, com professores formados lá, traz um diferencial na sua formação", afirma o Maestro Roberto Farias, Coordenador dos Grupos Artísticos de Cubatão. E ainda que apareçam algumas dificuldades neste percurso musical, o importante é ser paciente e curioso, sempre mantendo a mente aberta a novas possibilidades.

Texto: Morgana Monteiro
Fotos: Acervo do artista

II ENCONTRO DE FERREOMODELISMO DE CUBATÃO SERÁ EM OUTUBRO


Desta vez, a exposição acontece dias 16 e 17/10 na Estação das Artes, e vai reunir mais de 100 apaixonados pelo mundo ferroviário em miniatura.

Aficcionados por locomotivas em miniatura e maquetes que mostram o trem e seus vagões passeando por cidades inteiras já têm motivo para comemorar: Cubatão vai sediar o II Encontro de Ferreomodelismo, em outubro deste ano. Será dias 16 e 17/10 em um lugar que tem tudo a ver: a Estação das Artes (av. 9 de Abril, 1937).

A expectativa é de receber mais de 100 expositores não apenas paulistas, mas de vários estados brasileiros. A informação é Welington Borges, organizador do Encontro e também Coordenador das Bibliotecas Municipais. De acordo com ele, o sucesso da Exposição no ano passado motivou a ampliação da Mostra: “Em 2010 vamos dedicar um fim de semana inteiro ao evento que deve atrair público até de outras regiões do Estado. Além disso, fomos muito felizes ao escolher a Estação das Artes para sediar o Encontro, afinal, o lugar resgata parte da história ferroviária de nossa cidade”, afirmou Welington.

O Ferreomodelismo é encarado como coisa séria por quem cultiva esse hobby. Para esse pessoal, não basta apenas montar a estrutura e ver o trem passar: o diferencial é justamente construir a maquete, conseguir cada peça e ver vagões e locomotivas ganharem vida a cada saída da estação. A Exposição deve reunir centenas de miniaturas, réplicas de locomotivas fabricadas na Rússia, Estados Unidos, Inglaterra, muitas das quais já circularam pelos trilhos brasileiros. Isso, sem contar os chamados “dioramas”, as maquetes que transportam para escala miniatura, cidades inteiras. Muitos trilhos somam até sete metros, entre curvas, pontes e túneis.


Estação das Artes: a escolha do espaço para realização da Mostra foi providencial, pois o prédiojá abrigou uma plataforma ferroviária importantíssima para o Estado de São Paulo. A Estação Ferroviária de Cubatão possui uma história centenária que começou em 1867, quando foi inaugurada juntamente com a linha da São Paulo Railway. No ano seguinte, um novo prédio foi construído para substituir o anterior, considerado "muito acanhado".

O lugar foi usado, até o século passado, como plataforma de embarque e desembarque de passageiros e transoporte de cargas pelos trens que ligavam a Baixada Santista à Capital e ao interior paulista. Em 1999, a empresa Ferroban cedeu o espaço à Prefeitura de Cubatão. E desde essa época, funciona ali a “Estação das Artes”, que oferece cursos ligados de Desenho Artístico, Pintura e Teatro.

fonte: http://www.cubatao.sp.gov.br/

domingo, 15 de agosto de 2010

ZANZALÁ ABRE AULA INAUGURAL DE CANTO CORAL, POLO UAB CUBATÃO

Cubatão inicia Curso de Canto Coral Virtual via Universidade Aberta do Brasil (UAB)
Aula inaugural foi sábado (14/8) na EMTD Ivanildo Rebouças da Silva (Conservatório), abrilhantada pela apresentação do Coral Zanzalá


“Não sabendo que era impossível, alguém foi lá e fez”, disse Fábio Oliveira Inácio, secretário de Educação de Cubatão, recorrendo à célebre citação de Charles Chaplin para melhor enfatizar o fato do município mais uma vez entrar para a história: a Cidade é a primeira do país a contar com uma Oficina de Canto Coral Virtual via Universidade Aberta do Brasil (UAB), que teve sua aula inaugural no dia 14 de agosto (sábado), na Escola Técnica de Música e Dança – EMTD – Ivanildo Rebouças da Silva (Conservatório Municipal). Fábio Inácio participou de cerimônia que marcou a abertura do inédito curso, ministrado pelo Pólo da UAB - Cubatão.

A solenidade, que teve também as presenças do maestro Roberto Farias; prof.ª Mariângela Duarte (ex-deputada federal); prof.º Reginaldo Alves, diretor do Conservatório Municipal; e prof.º Joacir Carvalho Leite, coordenador do Pólo da UAB em Cubatão, teve abertura do Coral Municipal Zanzalá, que apresentou um seleto repertório de canções Sacras, Eruditas e MPB, com destaque para o baiano Dorival Caymmi (1914/1998), culturalmente reconhecido por suas canções praieiras [‘O Mar’, ‘História de Pescadores’, ‘É Doce Morrer no Mar’, ‘A Jangada Voltou Só’, ‘Canoeiro’, ‘Pescaria’, entre outras].

A qualidade técnica e a atuação cênica do Coral Zanzalá foram citadas em todas as falas pós-abertura, tida como exemplo de riqueza artística que o município pode produzir. Quanto ao curso que se inicia, Fábio Inácio afirmou que “plantar essa semente da música nas escolas é muito interessante’, uma vez que a música e a educação têm o poder de mudar uma sociedade. Disse que entre as riquezas produzidas no município incluem-se vários músicos que estão espalhados pelo país afora. “Este é um dos fatores que resgata a auto-estima dos cubatenses”, completou o secretário de Educação.
“O ensino à distância veio para ficar e a música, expressão da alma humana, não podia ficar de fora. Ter esta Oficina de Canto Coral em Cubatão é um compromisso de ousadia”, disse o prof. Reginaldo Alves, diretor do Conservatório. Discurso reforçado pelo maestro Roberto Faria: “este nível artístico que vimos aqui é a constatação daquilo que deu certo na Cidade e que está sendo consolidado pela universidade à distância”.



Neste sentido, o prof. Joacir Carvalho se colocou como um abnegado, mas destacou o esforço das secretarias de Cultura e de Educação pelo esforço em construir novas alternativas de cursos e de ensino da arte na Cidade. “Cubatão tem mostrado que é possível. Por isso, a Cidade vai continuar sendo um celeiro de músicos para o país”, disse o coordenador do Pólo UAB, que finalizou agradecendo pela acolhida que vem recebendo tanto da Administração quanto do povo cubatense.

Para a regente assistente do Coral Zanzalá, Nailse Machado Cruz, a presença da UAB em Cubatão deve ser encarada como uma importante conquista educacional e cultural para a população da Baixada Santista. Colocando-se como exemplo, Nailse revelou ser apaixonada pela arte musical, mas que para fazer um curso voltada a área (após se formar em Advocacia) teve de partir para a Universidade de São Carlos, onde é aluna há um ano e meio, tendo as aulas presenciais em Osasco. Isso porque não havia à época um Pólo específico aqui na Região. “Hoje é um novo tempo. Então, valorizem e aproveitem esta oportunidade”, disse, dirigindo-se aos 32 alunos da recente Oficina de Canto Coral Virtual de Cubatão.

A solenidade foi finalizada com a entrega de certificados aos concluintes do Programa de Formação de Tutoria. Receberam a certificação Fernando Pompeu; Dailson Takeúti; Maria F. dos Santos Tavares; e Andréia Cirilo.
Informação técnica sobre a Oficina, ou a UAB, consulte o site www.uabpolocubatao.com.br

Texto e fotos: Ismael Pereira

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

QUEEN SINFÔNICO É DESTAQUE NO PROJETO TOCANDO SANTOS


Apresentação reúne Banda Sinfônica de Cubatão e Coral Zanzalá no palco do Teatro do Sesc dia 22/8 às 19h30

A energia do rock de mãos dadas com a competência da formação clássica musical. O que parecia apenas inusitado e diferente tornou-se um grande espetáculo, vibrante e cheio de vida. O Concerto "Queen Sinfônico" da Banda Sinfônica de Cubatão e Coral Zanzalá aterrisa agora no projeto Tocando Santos que reúne as melhores orquestras, bandas sinfônica se coros do estado de São Paulo. A apresentação será dia 22/8 às 19h30 no Teatro do SESC/Santos, com ingressos a preços populares.

O projeto é uma homenagem à banda inglesa de rock Queen. Em um trabalho cheio de detalhes, Sinfônica e Coral reúnem mais de 140 artistas no palco, entre músicos e cantores, realizando um trabalho surpreendente, de excelente qualidade artística e técnica. Pelo menos 13 das muitas canções imortalizadas pelo Queen estarão neste Concerto. As músicas, originalmente compostas para uma banda de rock and roll, receberam versões coral-sinfônicas, criadas com exclusividade por João Victor Bota. Na lista estão: “Bohemian Rhapsody”, "Radio Ga-ga", "We are the champions", “Somebody to love”, “Crazy little thing called love”, “How can I go on” e muito mais.

A direção musical do Maestro Marcos Sadao Shirakawa (Regente da Sinfônica) traz novamente ousadia, praticamente sua marca registrada. Destaque também para as maestrinas Maria Fernanda dos Santos Tavares e Nailse Cruz, respectivamente, regente titular e regente assistente do Zanzalá, responsáveis pelo trabalho de preparação dos solistas e demais atuações vocais. Além do coro composto por mais de 60 vozes, os cantores cubatenses Fabrício Rodrigues, Anderson Borges e Daniela Martins participam do Concerto como solistas.

A promessa é de repetir o sucesso das apresentações realizadas em Cubatão, Santos e cidades do interior paulista, onde os corações de mais de cinco mil pessoas foram simplesmente arrebatados. Independentemente do gosto e refinamento musical de cada ouvinte, não há como negar a importância da banda “Queen” na música universal e é essa genialidade que estará disponível a todos. Outras informações sobre a Banda Sinfônica estão no site www.sinfonicadecubatao.org.br .

O projeto Tocando Santos entra na 16º edição com apresentações mensais, sempre no SESC. Da região Metropolitana, apenas a Banda Sinfônica de Cubatão, Coral Zanzalá e Orquestra de Santos foram convidadas. O projetio homenageia três personalidades da área cultural: in memorian para Patrícia Galvão (Pagu), pelo centenário de seu nascimento e ao ao músico Johnny Alf, considerado o pai da bossa nova. A terceira homenageada é Aura Botto de Barros, de 95 anos, presidente do Centro de Expansão Cultural de Santos.

Queen - banda de rock que já vendeu mais de 300 milhões de cópias no mundo inteiro e é liderada atualmente por Brian May (guitarra) e Roger Taylor (bateria). Foi uma das mais populares bandas inglesas dos anos 70 e 80, sendo precursora do rock tal como hoje o conhecemos, com magníficas produções dos seus concertos e videoclipes das suas canções. Mesmo nunca tendo sido levada a sério pelos críticos da sua época, que consideravam a sua música "comercial" (a crítica de hoje considera a banda Queen como uma das melhores bandas de rock de todos os tempos), tornou-se sucesso de público graças à mistura única entre as complexas e elaboradas apresentações ao vivo e o dinamismo e carisma da sua estrela maior e eterna, o vocalista Freddie Mercury.

Serviço
"Queen Sinfônico" no Projeto Tocando Santos

Dia 22/8 (domingo)às 19h30
Local: Teatro do SESC/Santos - rua Conselheiro Ribas, 136 – Santos
www.sinfonicadecubatao.org.br

Texto: Morgana Monteiro
Fotos: Dilson Mato Grosso

CUBATÃO SINFONIA ABRE INSCRIÇÕES PARA CURSOS DE MÚSICA E CORAL


São vagas remanescentes para o 2º semestre. A matrícula deve ser feita na sede do Projeto, na Cota 200

Crianças, jovens e adultos interessados em aprender música e canto coral podem se inscrever no Cubatão Sinfonia. O Projeto está com vagas disponíveis para o segundo semestre. Os interessados devem se matricular na sede do Programa que funciona no Shopping da Comunidade (rua Principal, 1016, Cota 200), de terça a quinta-feira das 8h30 às 16h. É necessário levar uma foto 3X4, cópia do RG e comprovante de residência. Além de canto coral e musicalização infantil, são oferecidas aulas de violão, violino, teclado, clarinete, saxofone, flauta transversal, trompete, trombone, trompa, viola, violoncelo, contrabaixo, percussão, formação para fanfarra e linha de frente.

Este ano, o Cubatão Sinfonia traz algumas novidades: uma delas é a ampliação do atendimento. Apesar de ter sido criado focando os jovens, estão sendo oferecidas, também, vagas para adultos. “Muitas mães de alunos nos procuraram porque queriam participar do projeto, também. Decidimos, então, ampliar nosso raio de ação”, afirma Leandro Sampaio, coordenador administrativo do Projeto.

Atendendo em novo local, o Cubatão Sinfonia oferece um espaço mais confortável. Os alunos têm agora salas adequadas para as aulas teóricas, individuais e coletivas de instrumentos. O apoio financeiro de empresas como a Usiminas, Ecopátio e Posto Pólo é indispensável para tornar realidade o sonho desses jovens músicos.



O Cubatão Sinfonia é um projeto sóciocultural criado em 2007 e tem por objetivo levar formação e cidadania através da música a moradores de bairros carentes, por isso, o núcleo principal foi instalado na Cota 200. Atualmente conta com 135 crianças e adolescentes dos bairros Cota e também de outros locais próximos como Água Fria e Fabril. Foi uma idéia da Associação de Amigos da Banda Sinfônica de Cubatão e tem o apoio da Prefeitura de Cubatão. Outras informações sobre o projeto podem ser obtidas através do site www.cubataosinfonia.org.br .

Serviço
Inscrições Projeto Cubatão Sinfonia
Cursos de Música e Coral
Rua Principal, 1016 – Shopping da Comunidade, Cota 200
Documentos: foto 3X4, Cópia do RG, comprovante de residência
www.cubataosinfonia.org.br

Texto: Morgana Monteiro
Fotos: Rodrigo Fernandes

ESCRITOR CUBATENSE LANÇA LIVRO DIA 18/8

CEMITÉRIO ISRAELITA SERÁ TOMBADO PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE CUBATÃO


A assinatura do decreto está marcada para dia 25/8. Representantes da Associação Israelita participarão da solenidade

O Cemitério Israelita de Cubatão já tem data para ser considerado, oficialmente, patrimônio histórico da cidade: o próximo 25 de agosto. Neste dia, às 14h, a Prefeita Márcia Rosa assinará, em seu Gabinete, o decreto que reconhece o espaço pela sua importância. A informação foi divulgada nesta terça-feira (10/8) durante reunião do Condepac, Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural do município.

O local absorve uma história centenária que nos remete a um capítulo pouco lembrado do passado: a imigração judaica. "O tombamento por si só garante apenas o reconhecimento, mas a idéia é implantar um Projeto de Educação Patrimonial no Cemitério Israelita, com a reabertura do espaço para visitação pública com monitores e inclusão em roteiros históricos", afirmou Welington Borges, presidente do Condepac. Segundo ele, a idéia foi completamente apoiada pela direção da Associação Israelita Shevra Kadisha, que administra os cemitérios israelitas no estado. Representantes da Associação estarão inclusive, presentes no dia da assinatura do decreto.

Um espaço cercado de mistérios e curiosidades – construído dentro do Cemitério Municipal de Cubatão, o Cemitério Israelita tem 800 metros quadrados e 75 sepulturas feitas em granito (55 de mulheres e 20 de homens). A lápide mais antiga data de 1924 e a mais recente é de 1966. A curiosidade habita no fato de lá estarem enterradas em sua maioria, as chamadas “polacas”, mulheres judias que no início do século XX deixaram o leste europeu atingido pelo anti-semitismo em direção à América com a promessa de casamentos, mas acabaram sendo exploradas na região. “É brilhante a idéia de conservar os ‘campos-santos’ como patrimônios históricos, pois reconta a história da imigração judaica, e reconhece o trabalho de preservação feito por nós”, afirmou o vice-presidente da Associação Shevra Kadisha, Rubens Muszkat. A Associação assumiu o campo-santo de Cubatão em 1996, quando realizou obras de restauração do local, incluindo o conserto e recuperação dos matzeivot (túmulos), ajardinamento, pavimentação das ruas, instalação de lavatório, colocação de placa indicativa no portão e de local apropriado para o acendimento de velas.

A conclusão desse processo torna Cubatão uma das poucas cidades brasileiras a possuir bens imóveis tombados com relação ao tema judaico, de acordo com Roney Cytrynowicz, doutor em História pela USP. "Temos apenas três bens imóveis tombados no Brasil relacionados ao tema judaico, dois no Rio de Janeiro e um em Pernambuco. O ‘campo-santo’ de Cubatão também entra nessa lista”, garantiu Roney.

Texto: Morgana Monteiro