Seja bem vindo!



Cubatão é mesmo uma cidade incrível, com uma vocação artística surpreendente. Para mostrar tudo isso é que foi criado este espaço virtual. O blog é dedicado a toda e qualquer manifestação cultural produzida aqui. Todos os segmentos da arte reunidos sem complicação ou frescura. Entre em contato...

artesdecubatao@gmail.com



segunda-feira, 31 de maio de 2010

ENCONTRO DE DANÇA EM CUBATÃO LOTA GINÁSIO DO PITA


Mais de 150 bailarinos se apresentaram no Tributo à Roseli Rodrigues. Foram 23 coreografias de tirar o fôlego!

Superando a expectativa do público, o Encontro de Dança “tributo a Roseli Rodrigues” foi um espetáculo diversificado. Organizado pela Cia de Dança da Sinfônica de Cubatão, o festival reuniu 14 equipes e mais de 100 bailarinos no palco. Coreografias de balé clássico, contemporâneo, jazz, street dance e estilo livre formaram um verdadeiro mosaico de dança na noite deste domingo (30/5) garantindo lotação completa das arquibancadas do Ginásio do Pita que teve a quadra transformada em um palco para as apresentações, com estrutura de som, iluminação e demarcação do piso com linóleo.

O Encontro recebeu este nome em homenagem a uma das coreógrafas mais importantes da atualidade, Roseli Rodrigues, que morreu em março deste ano. Em sua sólida carreira e durante os 30 anos que esteve à frente da Cia Raça, arrebanhou mais de 80 prêmios, entre eles, a indicação para o Troféu Mambembe do Ministério da Cultura, como melhor coreógrafa. E a noite de espetáculos teve início com um vídeo homenageando vida e carreira dessa grande bailarina, emocionando todo o público.

A mostra foi aberta em grande estilo com “Lamentos do mar”, da Cia de Dança da Sinfônica. A coreografia venceu a etapa regional do Mapa Cultural Paulista e a Cia será a representante da Baixada Santista na etapa estadual do Festival em junho. Contando a história do cotidiano de uma vila de pescadores, narra uma história de amor, retratando as alegrias e dores desses trabalhadores.

E seguiram as apresentações nos mais variados estilos, reunindo as bailarinas que iniciaram os primeiros passos há pouco tempo e aqueles que já tem a dança como profissão. Participaram as companhias: Backstage Centro de Dança, Grupo Alfa, Cia de Dança da Sociedade São Vicente de Paulo, Pequena Essência, Centro da Juventude da Zona Noroeste de Santos, Grupo Pivô, Silia & Ceci Dance Theatre, Unip Dança e Grupo de Dança do BEC (Banda Escola de Cubatão). Destaque para a Cia Etra, de Fortaleza, no Ceará. Com a coreografia “Entre salas”, a dupla que veio de tão longe, encantou com o dueto de dança contemporânea, estilo que sempre nos traz o inesperado.
A Cia Etra de Dança Contemporânea veio de Fortaleza, CE

O Festival reuniu os melhores grupos da região. Um deles foi Cia Loucos por Dança, de Santos. O grupo foi selecionado para participar do Campeonato Nacional de Dança de Rua no Programa da Xuxa, na Rede Globo. O Brasil todo se inscreveu mas apenas 12 grupos foram selecionados e Cia Loucos por Dança foi um deles. A equipe apresentou a coreografia “Duas caras” e encantou a platéia com a precisão dos movimentos.
Momento único aconteceu quando a Cia de Dança da Sinfônica se apresentou junto com o Balé sobre rodas da Casa da Esperança.

A coreografia “Memory” foi sensível e emocionante, criando um clima de integração e superação dos limites. Para o coreógrafo da Cia, Zeca Rodrigues, trabalhar com os cadeirantes foi um desafio: “Fazer esse trabalho foi uma das grandes emoções da minha vida”, afirmou o coreógrafo, durante a apresentação do grupo. A platéia aplaudiu em pé.

A noite terminou ao som dos anos 50, com a estréia da coreografia “Golden Days” da Cia de Dança da Sinfônica. Esses chamados “Anos Dourados”, com quebra de protocolos, mudanças culturais radicais, faziam dos bailes o centro da vida dessa juventude “transviada”. E toda essa magia foi transportada para o palco. Figurino impecável, com direito a vestido de cetim e muito glamour na maquiagem, rabos-de-cavalo à la Brigite Bardot, coques gigantes. E uma coreografia genial, alegre, colorida cheia de jazz.


Foi a estréia da coreografia "Golden Days" que trouxe todo glamour da década de 50

A sensação é de fomos realmente transportados para aquela época, afinal, quem nunca quis dar uma passada na década de 50? Superando as expectativas da organização, o Festival foi um grande espaço de confraternização e troca de experiências para os bailarinos, e de contemplação para quem acompanhou a mostra.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

FESTIVAL LIVRE DE MÚSICA DE CUBATÃO COMEÇA COM ROCK NESTE FIM DE SEMANA

O 1º FELMU – Festival Livre de Música Estilo Rock começa neste final de semana (29 e 30/5), quando serão escolhidas dez bandas para a final no domingo seguinte (6/6), em que serão definidas as bandas vencedoras. O evento será realizado no Centro Esportivo Armando Cunha, situado no Jardim Casqueiro, em Cubatão.

As dez bandas finalistas participarão da gravação do 1º CD do FELMU e as três melhores apresentações receberão prêmios em dinheiro: R$ 1.000,00 para o 1º lugar; R$ 600,00 para o 2º e R$ 400,00 para o 3º. Haverá troféus para as três bandas vencedoras e para a banda escolhida pelo júri popular. Esta, caso não esteja entre as dez finalistas, também participará da gravação daquele disco. A banda vencedora ainda tocará no Festival de Rock, a ser organizado em julho pela Prefeitura Municipal de Cubatão.

Em cada dia do FELMU haverá um show de encerramento, proporcionando entretenimento ao público enquanto a comissão julgadora se reúne para definir os finalistas.

O ingresso (individual) compreende o valor simbólico de R$ 2,00 (destinado à banda que encerrará cada dia do 1º FELMU), e mais um quilo de alimento não perecível (que será encaminhado ao Fundo Social de Solidariedade).

Objetivos - De acordo com a organização do evento, a formação de novas bandas no município é constante, mas elas acabam se desfazendo pela falta de incentivos e locais para se apresentarem, destino que este festival pretende alterar, lançando novos talentos e incentivando a formação de novas bandas.

O evento foi pensado de forma o oferecer momentos de entretenimento familiar e de promoção cultural. É de amplo conhecimento que a aprendizagem musical contribui para o desenvolvimento cognitivo, psicomotor, emocional e afetivo e, principalmente, para a construção de valores pessoais e sociais de crianças e jovens.

PROGRAMAÇÃO:
DIA: 29/05 (sábado)

1. Dan Lisboa e Banda a Jato – Um jeito estranho normal de ser
2. M.E.I – Reinício
3. Select – Hora de reagir
4. The Malavox – Nay
5. M.E.I – Outro caminho
6. Cassiu's Clay e seu Conjunto – Ciranda de Urubu
7. Cassiu's Clay e seu Conjunto – Mangueto
8. B-Side – Silêncio e fantasmas
9. Kamikazze – Pra te esquecer
10. Fake ID – Vai encontrar

• Banda convidada para encerramento: Via Rock

DIA: 30/05 (domingo)
1. Let'go – Teu olhar
2. For You (4U) – Mais que um alívio
3. Refresh – O tempo não parou
4. B-Side – Sem palavras
5. Rosarium – Mahö 6. Alpes – Nada ta dando certo
7. Slide – Minha paz
8. Maple3 – Never Surrender
9. Rosarium – Sora
10. Kamikazze – Diário escolar

• Banda convidada para encerramento: Legião Urbana Cover

FONTE: informacubatao.blogspot.com

LIVRO RESGATA A HISTÓRIA DA PRIMEIRA FÁBRICA DE CUBATÃO


"Anilinas" foi lançado nesta terça-feira, 25, na ACIC

Com uma linguagem de fácil entendimento e fotos de época, o livro "Anilinas", da historiadora Celma de Souza Pinto e do ambientalista e fotógrafo Rolando Roebbelen foi lançado nesta terça-feira, 25, no prédio da Associação Comercial e Industrial de Cubatão (Acic). A obra conta a história da Cia. de Anilinas e Productos Chímicos do Brasil, uma das primeiras fabricantes de produtos químicos e corante do País instalada em 1918, no município de Cubatão, quando ele ainda pertencia à cidade de Santos.

O livro resgata a história da primeira indústria de Cubatão, traça um perfil dos trabalhadores da empresa e dos moradores da época, o início da industrialização na Cidade e do Brasil, a ascensão e a falência da Companhia nos anos 60. As imagens que ilustram a obra fazem parte do acervo fotográfico do antigo funcionário da Companhia Anilinas, Hermann Gustavo Roebbelen, feitas entre os anos 30 e 40 e digitalizadas pelo seu filho Rolando Roebbelen.

Segundo Celma de Souza Pinto, o objetivo da obra foi preservar fatos relevantes da Companhia Anilinas e despertar nas pessoas o interesse por pesquisas relativas à fábrica e à industrialização de Cubatão. Para Rolando, o livro é uma forma de perpetuar essa parte importante da história da Cidade.

"Foi amor à primeira vista", relata Gerd Gustav John Jürgens, último proprietário da Cia. de Anilinas se referindo à empresa que herdou do pai John Jürgens. Gerd conta que quando assumiu a fábrica passou por muitas dificuldades, mas que recebeu ajuda de amigos e familiares para continuar com a empresa funcionando, até a sua falência nos anos 60. "Depois de 40 anos voltei ao local onde ficava a fábrica que pertenceu ao meu pai e que geri por muitos anos. Estou feliz e emocionado em ver essa história retratada em um livro", finaliza.


Para a antiga funcionária da Cia. de Anilinas, Ondina Silva e Silva, o lançamento do livro "Anilinas", foi uma emoção inigualável. "Vendo as fotos e folheando as páginas do livro, eu revivi uma parte da história da minha vida. Reconheci parentes e amigos daquela época", conta emocionada.

O lançamento contou com a presença da Secretária de Cultura e Turismo, Patrícia Campinas, que representou a prefeita Marcia Rosa, com os secretários municipais José Roberto Baldini (Meio Ambiente); Fábio Inácio (Educação); Fernando Alberto Henriques Junior (Ação de Governo); Renée Castro Fernandes (Esportes e Lazer); Erenita Maria Barbosa (Assistência Social); Adalberto Ferreira (Planejamento). Ainda o ex-prefeito Carlos Frederico Soares Campos, Teodoro Pavão (Gerente de Segurança, Saúde e Meio Ambiente da Carbocloro); Márcio Abreu (Gerente Industrial da Carbocloro); e demais autoridades.

Texto: Ana Borges
Fotos: Dilson Mato Grosso/PMC

POLO DE CUBATÃO DA UAB PROMOVE OFICINAS DE CANTO CORAL À DISTÃNCIA


Inédito no Brasil, curso tem 32 vagas, 19 para mulheres e 13 para homens

O Polo Presencial de Cubatão da Universidade Aberta do Brasil (UAB) está com inscrições abertas para a primeira Oficina de Canto Coral virtual do País. Utilizando recursos tecnológicos da Educação a Distância (EAD), a oficina caracteriza-se por uma metodologia diferenciada, com material didático virtual, fóruns de discussão, audiovisual e intervenções de tutores com reconhecida experiência na prática de canto coral e regência.

De acordo com o coordenador do Polo de Cubatão da UAB, Joacir Carvalho Leite, a oficina está dividida em 10 períodos, em caráter experimental. "O objetivo é que durante esse processo os participantes se apropriem de alguns conceitos, técnicas e fundamentação teórica que colaborem para a construção de um repertório de oito peças a serem apresentadas no encontro de encerramento da oficina", explica.

Além das aulas em ambiente virtual de aprendizagem (AVA), a oficina terá encontros presenciais ao final de cada período, com o objetivo de se colocar em prática os estudos realizados. "Em cada período o participante terá contato com a história do canto coral, desenvolvendo técnica vocal e corporal, a partir do estudo de uma obra escrita para coro e de seu compositor", explica Joacir Leite. Segundo ele, serão também incorporados elementos correspondentes à forma de apresentação e execução de peças a partir de atividades cênico-musicais.

Inscrições – Para participar da Oficina de Canto Coral é necessário estar familiarizado com o uso de computador e internet e ter um perfil dinâmico e de autoinstrução. "Não é preciso saber ler partituras, mas para melhor aproveitamento dos conteúdos e das práticas, é aconselhável que os candidatos tenham algum tipo de experiência com atividades musicais", destaca Joacir Leite.

A oficina tem 32 vagas, sendo 19 para mulheres e 13 para homens, divididos por naipes: 10 sopranos, 9 contraltos, 7 tenores e 6 baixos. A classificação vocal será realizada no processo seletivo, necessário por conta do número limitado de vagas.

As inscrições vão até dia 8 de junho e devem ser feitas diretamente no site www.uabpolocubatao.com.br . Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (13) 3361-8804.

Texto: Cecília Beu
Fonte: informacubatao.blogspot.com

CONCERTOS DIDÁTICOS EM ESCOLAS PÚBLICAS


Banda Sinfônica e Programa BEC levam música de qualidade a alunos do vale Verde e Vila Light. É o projeto “Concertos Didáticos”.

Nem só de matemática e português se faz um bom aluno. Por entender que é importante o convívio do jovem com a música clássica desde cedo, a Banda Sinfônica de Cubatão e o Programa BEC presentearam escolas públicas com o projeto Concertos Didáticos. As apresentações aconteceram nesta sexta-feira (28/5) para estudantes da Vila Light e do Vale Verde.

Na UME Mário de Oliveira Moreira (Vale Verde), o pátio da escola se transformou em uma sala de concerto para receber os professores e alunos do Programa BEC – Banda Escola de Cubatão. Foram duas apresentações que reuniram mais de 300 alunos e o resultado foi de arrepiar! Pela manhã, a Camerata de Violões do BEC trouxe músicas do folclores brasileiro, música popular e estrangeiras, também.
Entre uma canção e outra, a professora Deblas Alves explicou a diferença entre um violeiro e um violonista, e o quanto os alunos do BEC estudaram para estar ali, se apresentando e fazendo bonito. No período da tarde, a Orquestra da Cordas do BEC deu o tom e simplesmente encantou os estudantes. O repertório, eclético, que mesclou música popular e erudita, prendeu a atenção de todos.

Já a Escola Henry Borden (Vila Light) recebeu uma formação menor da Banda Sinfônica. Silêncio total no pátio do colégio. De olhos fechados, a platéia escutava com atenção as instruções do maestro, que, calmamente, contando de um a cinco, pedia a todos que relaxassem. Após o exercício, era a hora dos ficarem de ouvidos bem atentos, pois a sinfonia estava prestes a começar. Também foram duas sessões de apresentações: uma no período da manhã e outra, à tarde.

De olhos vidrados, meninos e meninas acompanharam um repertório que foi do clássico (compositores como Beethoven, Bach) até canções temas de desenhos animados e programas de TV. Além da apresentação musical, o maestro assistente, Ulysses Damacena, fez uma pequena introdução explicando às crianças o que é a Banda Sinfônica, tira dúvidas sobre alguns instrumentos musicais desconhecidos do grande público (como o fagote, o oboé, por exemplo) e até como a garotada deve se comportar em um teatro, durante um espetáculo.

Toda a garotada participou ativamente do concerto e as duas apresentações terminaram com os próprios alunos regendo a Sinfônica. Desde que foi criada, a Banda Sinfônica de Cubatão tem como um de seus grandes objetivos formar público que passe a apreciar a música clássica, além de acabar com aquela idéia de que somente a “elite” gosta desse gênero musical. Os concertos didáticos tornam-se, assim, ocasião privilegiada para conferir que aos poucos a distância entre os jovens e a música sinfônica vem sendo cada vez menor.

Texto: Morgana Monteiro

BANDA SINFÔNICA DE CUBATÃO E BANDA MARCIAL PARTICIPAM DO "CORETO PAULISTA"


As apresentações acontecem dias 1 e 3 de junho em Tatuí, interior do estado. Banda Sinfônica e Coral Zanzalá levarão o espetáculo “Queen Sinfônico”.

Antes de existirem os Conservatórios, eram as bandas que formavam os músicos pelo estado de São Paulo. Elas se apresentavam nos coretos que serviam de ponto de encontro e lazer da população. Bandas e coretos se transformaram em uma tradição paulista e por que não dizer, brasileira? Foi desta idéia, de resgatar as bandas como núcleos de educação musical, que surgiu o projeto “Coreto Paulista” que compreende apresentações e oficinas com músicos de bandas de várias partes do estado.

E pelo terceiro ano consecutivo, Grupos Artísticos de Cubatão são convidados a participar do evento. Em 2010, Banda Sinfônica e Banda Marcial se apresentam na cidade de Tatuí e dividirão a atenção com outros 24 bandas, fanfarras e grupos musicais. O Festival vai de 28/5 a 6/6. Além do incentivo à continuidade de tais grupos, a comunidade receberá, por meio do Coreto Paulista, apresentações gratuitas desses grupos em praças, conchas acústicas e teatros de Tatuí.

A Banda Marcial de Cubatão se apresentará, por exemplo, no dia 1/6 às 20h no Teatro Procópio Ferreira, no Conservatório de Tatuí. O repertório será bastante diferenciado, composto por trilhas sonoras de filmes como “De volta pra o futuro”, “Harry Potter e a pedra filosofal”, “Jurassic Park”, “King Kong”, “Piratas do Caribe”, “Flinstones”, entre outros. Com essas canções, a Banda Marcial traz ao público, a possibilidade de recordar imagens, de refazer o clima e as emoções de cada história. É a interpretação dos músicos da Marcial que vai transportar cada um, emocionalmente, ao mundo mágico do cinema.

A Banda Marcial vai encantar com temas musicais de filmes

O Coreto paulista contará, também, com o espetáculo “Queen Sinfônico”, da Banda Sinfônica de Cubatão e Coral Zanzalá. Os 140 artistas estarão em um palco montado na Concha Acústica de Tatuí, dia 3/6 às 20h, apresentando as canções que encantaram o mundo inteiro na voz de Freddie Mercury, a estrela maior da banda de rock Queen. Em um trabalho cheio de detalhes, Sinfônica e Coral realizarão, mais uma vez, um projeto surpreendente, de excelente qualidade artística. As músicas, originalmente compostas para uma banda de rock, receberam versões coral-sinfônicas, criadas com exclusividade por João Victor Bota, como “Bohemian Rhapsodie”, “Somebody to love”, “Crazy little thing called love”, “How can I go on” receberam uma nova roupagem.

A direção musical de Marcos Sadao Shirakawa traz novamente a ousadia, praticamente marca registrada dele, que é o maestro titular Sinfônica. Destaque também para as maestrinas Maria Fernanda dos Santos Tavares e Nailse Cruz, respectivamente, regente titular e regente assistente do Zanzalá, responsáveis pelo trabalho de preparação dos solistas e demais atuações vocais que terá a participação do cantor convidado, Fabrício Rodrigues. Outras informações sobre a Sinfônica estão no www.sinfonicadecubatao.org.br

Além das apresentações gratuitas e simultâneas na cidade, o Coreto paulista terá, além da troca de experiências entre as dezenas de conjuntos participantes, um trabalho pedagógico com músicos convidados entre os de primeira grandeza do gênero: um verdadeiro centro de aperfeiçoamento, divulgação, pesquisa, troca de repertório e doação de instrumentos para que cada cidade, cada banda, cada coreto municipal se transforme em celeiro de novos artistas. A programação completa está disponível no site www.coretopaulista.com.br .

CORAL RAÍZES DA SERRA DA 3º IDADE PARTICIPA DE ENCONTRO DE CORAIS EM PRAIA GRANDE


Será neste sábado (29/5) a partir das 19h. O encontro reúne 22 grupos corais da Baixada Santista e Vale do Ribeira.

O Coral Raízes da Serra da Terceira Idade, é convidado especial do 12º Encontro de Corais de Paia Grande. A apresentação é neste sábado (29/5) a partir das 13h no Auditório Jornalista Roberto Marinho, no bairro Mirim. Pelo menos 22 corais de várias cidades da Baixada Santista e também da Capital, participarão das atividades.
O Encontro é tradicional na cidade e contará com a participação de aproximadamente 700 pessoas, todas da melhor idade. O festival entra em sua décima segunda edição e continua mantendo vivo o objetivo de proporcionar a troca de experiências entre os grupos, e ao mesmo tempo, oferecer uma atividade de lazer para a comunidade.

Para esta apresentação, o Raízes da Serra preparou um repertório cheio de música popular brasileira, como “Aquarela do Brasil” (Ary Barroso), “Epitáfio” (Titãs), “Vê, estão voltando as flores” (Paula Soledade), “País tropical” (Jorge Ben Jor), “As Mariposa” (Adoniran Barbosa). O Coral Raízes da Serra surgiu da necessidade da se ter no município uma equipe que agrupasse o pessoal da terceira idade para apresentações públicas. Criado em 1985, foi oficializado em 2005, reconhecido e incorporado à Secretaria de Cultura e Turismo, que oferece profissionais para conduzir as vozes.

O repertório é popular: canções folclóricas, MPB e até música estrangeira. Além das canções, os participantes do coral têm aulas de expressão corporal, apresentando coreografias e interpretação das canções, sendo sempre acompanhados por piano e percussão. Os cerca de 50 participantes são todos voluntários, com idades entre 55 e 85 anos, homens e mulheres, moradores de diversos bairros da cidade. O grupo cumpre a função social de integrar o pessoal da terceira idade em atividades funcionais de arte e cultura, oferecendo qualidade de vida.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

QUITUTES & BATUQUES CHEGA A CUBATÃO


Pela primeira vez, a África é sede da Copa do Mundo. Em Cubatão, uma caravana multicultural africana chega, trazendo música, dança, culinária, futebol em um projeto sociocultural, realizando oficinas e shows.

Começa hoje (26/5) e segue até o dia 3/6 em Cubatão, o Projeto “Quitutes e Batuques”. O evento estabelece na comunidade um festival de cultura que abrange música, dança, vídeo, culinária e educação. As oficinas e muitas apresentações acontecerão, principalmente, no Centro de Capacitação Comunitária São Vicente de Paulo – Ponto de Cultura Afrobanda. Participarão do evento os artistas Fanta Konatê (Guiné Conakry), Adama Yalombá (Mali), Bayfall (Senegal), Luis Kinugawa, Pitu Leal, Gabriel Madeira, Simone Sou, Carlinhos Antunes, Rui Barossi, Thomas Rohrer, entre outros.

O tema é a cultura africana e suas heranças, entre elas a Cultura Mandinga, predominante na Africa Ocidental. A força dessa cultura perdurou mesmo após o fim do império, espalhando-se pelo mundo. Quitutes e Batuques traz artistas africanos que, juntamente com artistas locais, mostrarão como a cultura brasileira tem fortes raízes africanas, e ao mesmo tempo, como as influências das Américas mudaram o perfil das artes contemporâneas africanas.

Entre 26 de maio e 3 de junho, acontecem oficinas socioculturais, que se assemelham a uma residência artística, em que os artistas africanos convivem intensamente com a população local. Há um intercâmbio estreito, já que a comunidade e seus artistas são anfitriões e apresentam sua visão de mundo, dividem experiências e encontram novas formas de soluções para questões comuns, através das expressões culturais de cada um.

As oficinas desenvolvidas serão culinária, dança, vídeo, percussão, biomúsica e confecção de instrumentos musicais artesanais. Elas serão organizadas para que se realize uma festa final com a participação de todos, comunidade e artistas. Assim como o conhecimento gerado nas oficinas é aplicado na produção deste evento de encerramento, pode ser aplicado em outras produções culturais, o que traz um caráter multiplicador ao projeto. No fim da residência, Carlinhos Antunes, Rui Barossi, Thomas Rohrer e Simone Sou encontram os artistas Quitutes e Batuques para a realização de um show inédito, na comunidade da Vila Natal, uma jornada pelo rumos da música africana do tradicional às novidades do Afro Pop.

Inscrições para as oficinas - ficarão abertas nos dias 25 e 26 de maio em dois horários: das 09 às 12 h e das 14h às 16h. Pessoalmente no Ponto de Cultura Afrobanda ou no telefone (13) 3361-6802. Outras informações serão disponibilizadas no Blog: quitutesebatuques.blogspot.com

Quitutes e Batuques - uma realização do Instituto Plataforma Brasil e WZM Plataforma Brasil Holanda, apoiado pela Secretaria de Estado da Cultura e pelo programa de Promoção e Intercâmbio de Eventos de Arte e Cultura da FUNARTE, com o patrocínio da USIMINAS, apoio cultural do Instituto Cultural Usiminas e em parceria com a Secretaria de Cultura e Turismo de Cubatão, Instituto África Viva, Grupo Afrobanda, Programa Mais Cultura do MinC.

Oficinas de Culinária: a cantora e bailarina Fanta Konatê, da Guiné Conakry (antiga Guiné Francesa), traz toda sua experiência na diversa e exótica culinária do Oeste Africano, com pratos típicos de diversos países na abrangência do Império Mandinga. Fanta aprendeu a dança e a culinária em sua própria família, reconhecida internacionalmente pela profundidade e conhecimento da tradição Malinkê, e estruturou um cardápio que apresenta desde o prato mais inusitado até aqueles que fazem ponte com a culinária brasileira, revelando que somos mais próximos dos Mandingas do que podemos imaginar.

Oficinas de Percussão e Dança: Adama Yalombá, do Mali, realizará oficinas que trazem a atualidade das danças e percussões de Bamako, apresentando a combinação de instrumentos e seus contextos nas festas Bamaná. O djembê, tambor em forma de cálice, e seus acompanhantes de base como os Dununs, Karinhans e Kodos, serão apresentados de maneira moderna, mantendo-se a estrutura que conduz as danças, desde os tempos do Império Mandinga, no século XIII.

Oficinas de Biomúsica: Luis Kinugawa é musicoterapeuta e criou a Biomúsica Sem Fronteiras a partir da experiência com percussão, culturas populares e trabalho humanitário, atuando no Brasil, EUA e África. O objetivo da oficina é promover uma experiência de integração coletiva baseada na ancestralidade africana, através de um formato lúdico e totalmente inovador. Tambores, movimentação corporal, voz e muita percussão são utilizados neste belo trabalho que chega a integrar centenas de pessoas de todas as idades, de professores de música àqueles que nunca tiveram contato com nenhum instrumento musical.

Oficinas de Confecção de Instrumentos Artesanais: Crianças e jovens de 10 a 20 anos criarão instrumentos musicais a partir de materiais recicláveis e de baixo custo, aprendendo a tocar a partir de conceitos musicais que serão introduzidos. A oficina será realizada pelo arte-educador e músico Pitu Leal que visa difundir as competências artísticas dentro da percussão, induzir os alunos ao conhecimento de outras etnias e ritmos brasileiros, utilizando assim a improvisação com os diversos tipos de materiais reaproveitáveis dentro da realidade local, nunca esquecendo das preocupações com o meio-ambiente. Entre os instrumentos que serão feitos estão tamborim, xequerê e pandeiro.

Oficinas de Vídeo: Gabriel Madeira propõe práticas audiovisuais a partir da realização do documentário Quitutes e Batuques 2010. Jovens participantes de oficinas de vídeo poderão aprofundar seu conhecimento participando do planejamento e gravação do documentário. Serão analisadas as escolhas do diretor e como estas conduzem as demais funções em um ambiente de produção audiovisual. De acordo com o conhecimento de cada um, os participantes poderão assumir funções específicas na realização entrando para equipe do documentário.

Show Quitutes e Batuques: Quitutes e Batuques em parceria com o Instituto África Viva reúne artistas africanos com grandes músicos brasileiros, apresentando a conexão musical entre a ancestralidade e contemporaneidade, em uma sonoridade atual, repleta de significados e histórias do velho e do novo mundo. Com danças e projeções multimídia que tornam o show um espetáculo de beleza, cenografia e técnica. É uma viagem musical pela cultura africana, partindo dos elementos tradicionais ao encontro da África contemporânea. Que se inicia pelo encontro com a música funcional que permeia as atividades cotidianas dos povos africanos, passa representação de seu desenvolvimento pela criação de ritmos pelas mãos dos descendentes da diáspora negra em terras do Novo Mundo. Também, a influência desses novos ritmos na cultural tradicional africana como uma volta às raízes e o desenvolvimento de uma nova música popular africana que se desponta como um dos gêneros mais importante da world music.

Vivência – Cultura Africana: A Vivência é uma atividade de integração entre artistas e comunidades. Nesse momento, todos se reúnem para pensar o projeto e transformar esses pensamentos em conhecimento aplicado ao cotidiano da comunidade. Em 2010, o projeto encontra a cultura africana como universo para expressão artística. Para os africanos, a música é parte de seu cotidiano e relações tanto as estabelecidas pela espiritualidade quanto entre indivíduos e comunidades. Esse aspecto funcional da música tradicional africana é colocado como tema e instrumento de integração da Vivência. Os participantes irão conhecer a música africana a partir de sua utilidade na comunidade e experimentá-la em seu cotidiano. Como conseqüência, as atividades trarão a tona questões particularmente ligadas à comunidade, que em contraponto com a realidade dos artistas e profissionais da caravana irão permitir um novo olhar para diferentes assuntos do dia a dia. A Vivência é um chamado para a comunidade se unir compreendendo a diversidade entre ela, o mundo e entre seus integrantes, percebendo que o esforço pela soma das diferenças é gerador de melhores oportunidades e resultados do que a divisão da atitude individualista.

Panna Knock Out Brasil: Panna é o jogo de futebol Holandês com uma regra principal, ganha quem passar a bola entre as pernas do adversário. O drible conhecido no Brasil como rolinho ou caneta recebeu dos descendentes de imigrantes surinameses na Holanda o nome de Panna, portal em suronamês. Joga-se um contra um em quadras infláveis com dois pequenos gols em partidas de 3 minutos. Se ninguém faz um Panna, ganha quem fizer mais gols. Quanto mais habilidade nós pés, maior a chance de êxito. O jogador familiarizado com os truques de estilo livre leva a vantagem, mas o jogo é para todas as idades e perfis. Por isso, Panna é um esporte de integração sócial, qualquer um pode jogar. Mais do que um esporte, Panna é estilo de vida, um evento autenticamente street, é acompanhado por Black Music tocado por um DJ, comandado por um MC e com apresentações de grandes freestylers brasileiros. Cubatão é uma das etapas de preparação para o lançamento do campeonato nacional. Outras informações: www.pannaknockout.com.br

PROGRAMAÇÃO

26/5 às 20h
Abertura
Local: Ponto de Cultura Afrobanda

27,/28 e 31/5 - 1 e 2/6 das 8h às 11h
Oficina de Culinária
Local: Ponto de Cultura Afrobanda

27/28 e 31/5 - 1 e 2/6 das 9h às 11 e das 14h às 15h
Oficina de Dança e Percussão
Local: Ponto de Cultura Afrobanda

27 e 28/5 - 1 e 2/6 às 13h
Oficina de Confecção de Instrumentos Musicais artesanais
Local: Ponto de Cultura Afrobanda

27/28 e 31/5 - 1 e 2/6 às 15h
Oficina de Biomúsica
Local: Ponto de Cultura Afrobanda

29 e 30/5 às 13 e às 15h
Vivência Cultura Africana
Local: Parque Anilinas

2/6 às 14h
Roda Discussão
Local: Teatro do Kaos

3/6 das 9h às 13h
Panna Knock Out
Local: palco montado na Rua das Flores, próximo á Escola Luiz Gustavo - Vila Natal

3/6 às 20h
Show Quitutes e Batuques
Local: palco montado na Rua das Flores, próximo á Escola Luiz Gustavo - Vila Natal

Endereços
Ponto de Cultura Afrobanda
Rua São Francisco de Assis n° 70 - Vila Natal

Show na Comunidade Vila Natal
Rua das Flores s/nº - Próximo a Escola Luiz Gustavo

Parque Anilinas
Avenida 9 de Abril, 2.275, Centro

Teatro do Kaos
Praça Coronel Joaquim Montenegro, 34 – Largo do Sapo

terça-feira, 25 de maio de 2010

ENCONTRO DE DANÇA EM CUBATÃO HOMENAGEIA COREÓGRAFA ROSELI RODRIGUES


O Festival será dia 30/5 às 19h. A bailarina, que deixou o mundo da dança em março, é um dos nomes mais importantes do jazz no Brasil.

As melhores Companhias da região já se preparam para participar de mais um Festival de Dança promovido pela Cia de Dança da Banda Sinfônica de Cubatão. O Encontro de Dança “Tributo à Roseli Rodrigues” vai ser no próximo domingo (30/5) a partir as 19h no Centro Esportivo Pita. Os ingressos custam R$ 5,00 antecipadamente. No dia do evento será vendido a R$ 8,00.
Pelo menos 12 companhias de dança de expressão do litoral e de outras regiões do estado já marcaram presença com seus trabalhos artísticos que percorrem um caminho coreográfico que vai muito além do jazz, estilo que marcou a carreira de Roseli Rodrigues. Os bailarinos da Cia de Dança da Sinfônica, pro exemplo, vão trazer pelo menos cinco apresentações: “Lamentos do Mar”, coreografia vencedora do Mapa Cultural Paulista, fase regional; “Memory” que reforça a importância da inclusão social, integrando na dança as bailarinas da Cia e cadeirantes da Casa da Esperança; um duo entitulado “Entre Nós“; pas de trois que recebeu o nome de “O Corsário” e a estréia de uma coreografia inédita, a “Golden Days”.

A Coreografia "Memory" será apresentada. Bailarinos e pessoal da Casa da Esperança, unidos pela Arte

Vanessa Toledo, diretora artística da Cia de Dança e uma das organizadoras do evento, diz que a homenagem é justa, uma vez que Roseli Rodrigues é, sem dúvida, uma das coreógrafas mais importantes da atualidade, emprestando seu talento ao Grupo Raça, reconhecido nacional e internacionalmente. Em sua sólida carreira e durante os 30 anos que esteve à frente do Raça, arrebanhou mais de 80 prêmios, entre eles, a indicação para o Troféu Mambembe do Ministério da Cultura, como melhor coreógrafa. Também doou sua criatividade a inúmeras companhia Brasil a fora, como o Ballet do Teatro Guaíra (PR) e o Ballet do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Esteve também à frente das coreografias de belíssimos musicais como “Vitor ou Vitória”, “Godspell” e do longa metragem “Aquária”. Foi membro do Conselho Consultivo do Instituto Festival de Dança de Joinville - SC nos anos de 2003 e 2004 e da Comissão de Artes Cênicas e Música do Conselho Municipal de Cultura.

Roseli Rodrigues é um dos nomes mais importante da Dança no Brasil hoje

O objetivo desse Encontro de Dança é realizar um intercâmbio entre os grupos de dança e prestar uma homenagem à Roseli. Além disso, o caráter social do evento fica evidente com a doação de um quilo de alimento não perecível, doado pelos bailarinos convidados. Posteriormente, os produtos serão doados a entidades assistenciais de Cubatão.

O espaço do Ginásio do Pita será todo transformado para o festival, com estrutura de iluminação e demarcação do piso do local com linóleo, uma espécie de tapete especialmente utilizado para dança. Os ingressos antecipados devem ser adquiridos através dos telefones (13) 9191-4404, 7812-2711 e 3362-0850. No dia do evento, serão vendidos na bilheteria do Centro Esportivo Pita. Outras informações podem obtidas através do email ciadedanca@sinfonicadecubatao.org.br ou www.sinfonicadecubatao.org.br .

Serviço
Encontro de Dança “Tributo à Roseli Rodrigues” da Cia de Dança da Sinfônica de Cubatão
Dia 30/5 às 19h
Local: Centro Esportivo Pita
Ingressos antecipados: R$ 5,00
Ingressos no dia do evento: R$ 8,00

Texto: Morgana Monteiro

segunda-feira, 24 de maio de 2010

VIRADA CULTURAL: ARTES E SERVIÇOS A TODA A COMUNIDADE


Foi um fim de semana de muitos shows de qualidade e prestação de serviços. Durante o encerramento com o cantor Otto, houve grande confraternização.

Uma grande festa que mobilizou o todo o espaço do Kartódromo Municipal. A Virada Cultural Paulista em Cubatão teve de tudo um pouco: de shows musicais a oficina de grafite; de desfile de criações de moda a prestação de serviços da saúde e tarde de lazer; e tudo, com muita animação e clima sereno entre os participantes. O Festival foi organizado pela Secretaria de Cultura e Turismo de Cubatão em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado de SP e arrebanhou um público de cerca de 1 milhão de pessoas nas 30 cidades paulistas em que aconteceu.

Em Cubatão, a programação foi bastante eclética e ficou concentrada no Kartódromo Municipal. Uma grande estrutura de palco recebeu os mais de 10 grupos musicais. O último dia do evento, domingo, começou ao som do Coral Raízes da Serra da Terceira Idade, com repertório popular e pop internacional. Os B.Boys do Hip Hop deram um show durante todo o dia, exibindo o break e dança de rua em uma pista improvisada. A idéia de levar os diferentes segmentos culturais para todo o estado, ao mesmo tempo, agitou os municípios, que puderam respirar arte por 24 horas ininterruptas.

O pessoal do Hip Hop agitou o domingo da Virada Cultural

A Banda Marcial de Cubatão se apresentou no sábado com um repertório bastante eclético

O Encontro de Capoeira reuniu dezenas de participantes

Destaque para os serviços oferecidos durante todo dia, que acabaram atraindo centenas de pessoas. Na barraca da saúde, havia medição da pressão arterial e teste de glicemia, além do pessoal do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) que levou o projeto “Samuzinho” com esclarecimentos às crianças de como funciona o serviço e a importância dos primeiros socorros. Na barraca do Cepema, jovens do Projeto PJ Mais, distribuíram centenas de mudas de plantas nativas da Mata Atlântica, como Jerivá, Grumixama e Pombeira. Quem levou a plantinha pra casa aprendeu como cuidar e depois, replantá-la no solo.


A oficina de cultivo e plantação de mudas nativas, ministrada pelos jovens do CEPEMA, foi um sucesso


Exames de saúde atraíram muita gente

A Oficina de Grafite com o artista Dalata, além de ensinar as técnicas aos jovens, multicoloriu um dos muros do Kartódromo. Dalata é um dos nomes mais importantes do grafite no Brasil, conhecido por realizar intervenções em locais públicos, interagindo com a natureza do espaço. Logo após as aulas de desenho, os participantes desenharam com spray aquilo que estivesse em sua imaginação. Jair Rodrigues dos Santos, que trabalha com comunicação visual há 38 anos, pela primeira vez grafitou um muro, cheio de estilo. “Achei maravilhosa a iniciativa e o Dalata é simplesmente um dos melhores grafiteiros que já conheci”, afirmou Jair.


Dalata emprestou seu talento e pintou um lindo painel para a cidade


A obra de arte pronta

As barracas de artesanato, com a presença do pessoal da Mãos de Fibra, que utiliza a fibra da banana para confeccionar os produtos, atraiu muita gente curiosa, assim como as tendas com salgados e doces. Uma equipe da Secretaria de Esportes levou equipamentos de lazer que ficaram à disposição da criançada. A tarde seguiu com ótimas apresentações como dos Bonecões e Cabeções de Iguape e do Grupo Zabelê, de Cubatão, que levaram o melhor da cultura popular para o público, com suas canções e danças típicas. Os Radiophonicos, banda paulistana que desperta para o cenário nacional, fez um paseio pelo surf beat e country-rock.


O artesanato esteve presente com o pessoal da Cooperativa "Mãos de Fibra"

Pessoal da Cooperativa "Mãos de Fibra"

Emocionante foi a participação dos motociclistas que reunidos em associações, percorreram todo o trajeto do Kartódromo com muito barulho e fumaça, a bordo de suas motos maravilhosas, com direito a jaqueta de couro e tudo mais. Participaram os motoclubes Tribo do Asfalto, Demolidores, Renegados e Guará. Mais de 50 motos estavam ali. No fim da apresentação, houve uma oração em memória ao motociclista Eduardo, do Motoclube Guará, que faleceu, vítima de um acidente. “Vivemos em liberdade, valorizamos a vida e temos Deus como nosso caroneiro”, afirmou Damásio, participante da Tribo do Asfalto.

O encerramento da Virada Cultural em Cubatão foi em grande estilo, com show do cantor Otto. Ele mostrou todas as influências de sua música que vai do maracatu, coco, rock, soul à música eletrônica. O compositor trouxe as principais canções de seu mais novo cd “Certa manhã acordei de sonhos intranquilos”. Com uma presença de palco impressionante, cheio de estilo, Otto, que é pernambucano, ficou feliz em estar em uma cidade que é cheia de nordestinos e cantou até “Olha pro céu”, de Elba ramalho. O público, embalado pelo clima descontraído, formou uma ciranda gigante, confraternizando, inclusive, com muitos funcionários que trabalharam no evento. Em que pesem o valor da iniciativa e a importância do evento, o clima de paz e alegria reinou durante todo o fim de semana, deixando a todos que participaram com gosto de “quero mais”. Esperemos por 2011.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

GRUPOS ARTÍSTICOS DE CUBATÃO AGITAM A VIRADA CULTURAL


Banda Marcial e Coral Raízes se apresentam nessas 24 horas em que a arte vai rechear cada canto da cidade de Cubatão. E Já a Banda Sinfônica e Coral Zanzalá realizam espetáculo em Praia Grande.

Com o objetivo de proporcionar Cultura gratuita e de qualidade, a Virada Cultural Paulista chega com tudo à Cubatão. E os Grupos Artísticos da cidade não ficaram de fora nesta grande festa. A Banda Marcial praticamente abre a festa em Cubatão. Sobe ao palco do Kartódromo Municipal às 18h do sábado (22/5) trazendo um repertório bastante eclético, que vai do erudito ao popular. Em sua formação de concerto, a Banda Marcial estará sob a regência do maestro Alexandre Felipe Gomes.

No domingo (23/5) às 12h30 é a vez do Coral Raízes da Serra da Terceira Idade encantar com as canções da MPB que recontam parte da história musical do Brasil, incluindo, ainda, melodias estrangeiras. Sob o comando da regente Sandra Moço, o pessoal da melhor idade vai mostrar que para encantar é preciso, apenas, ter bom ânimo. A apresentação também acontece no Kartódromo Municipal.


Queen Sinfônico – Atingindo 28 municípios paulistas, um grande objetivo da Virada Cultural é proporcionar um intercâmbio entre o artista e o público. Gente de várias partes do estado estarão percorrendo os espaços culturais disponíveis. O espetáculo “Queen Sinfônico” é um exemplo disso. Levará a Banda Sinfônica de Cubatão e Coral Zanzalá ao palco do Palácio das Artes de Praia Grande a partir das 18h.

A apresentação traz mais de 140 músicos e cantores no palco e no ar, as canções inesquecíveis de uma das maiores bandas de rock do mundo. Cheio de detalhes, o projeto é audacioso, trazendo pelo menos 13 das muitas canções imortalizadas pela estrela maior do Queen, o vocalista Freddie Mercury. As músicas receberam versões coral-sinfônicas, criadas com exclusividade por João Victor Bota. Entre elas, estão: “Bohemian Rhapsodie”, “Somebody to love”, “Crazy little thing called love”, “How can I go on”. Independentemente do gosto e refinamento musical de cada ouvinte, não há como negar a importância da banda inglesa “Queen” na música universal e é essa genialidade que estará disponível a todos.

Virada Cultural Paulista
Banda Marcial de Cubatão

Dia 22/5 (sábado) às 18h
Local: Kartódromo Municipal de Cubatão
Rua Embaixador Pedro de Toledo, s/nº

Coral Raízes da Serra
Dia 23/5 (domingo) às 12h30
Local: Kartódromo Municipal de Cubatão

Banda Sinfônica de Cubatão e Coral Zanzalá
“Queen Sinfônico”
Dia 22/5 (sábado) às 18h
Local: Palácio das Artes de Praia Grande
Av. Presidente Costa e Silva, 1600

Texto: Morgana Monteiro

MARCELO ARIEL LANÇA MAIS UM LIVRO


O escritor cubatense Marcelo Ariel lançou seu quarto livro, "Conversas com Emily Dickinson e outros poemas", obra que dá continuidade a uma escrita cheia de imagens, revelações, sonhos e a presença de outros poetas. O livro foi lançado na última terça-feira (18) em São Paulo, pela coleação Orpheu, da editora Multifoco. O livro pode ser encomendado na própria editora pelo telefone (21) 2222-3034 ou pelo endereço eletrônico contato@editoramultifoco.com.br.

Os poemas de "Conversas com Emily Dickinson..." mostram uma depuração da arte de Ariel. Eles são mais homogêneos em tamanho e temática, garantindo ao livro uma unidade que suas obras anteriores não haviam atingido. Ao mesmo tempo, o livro se abre para parcerias, como os textos escritos com as poetas Beatriz Bajo e Mariana Ianelli, e até a presença de um pseudônimo, Francisco Solar. A série "Conversando com Emyly Dickinson", cuja parte final segue abaixo, é bem característica do momento atual do escritor:

Mãos de ninguém

Professam uma delicadeza

Suprema,

não existir

é para

o intocado

como lágrimas

que jorram em sonhos

esquecidos

podem sorrir


Formação – Nome que vem recebendo destaque na poesia contemporânea nacional, Ariel costuma contar que boa parte de sua formação como leitor e autor foi feita pelos corredores e estantes da Biblioteca Municipal de Cubatão, onde escolhia livros para ler para o irmão. Essa fase definidora de sua poética está descrita em "a-monólogo", um dos poucos textos em prosa do livro:

"Aprendi a ler e escrever aos 5 anos com a Dona Marlene, minha vizinha e meu irmão Orlando classificado como esquizofrênico, que me levou a uma biblioteca quando eu tinha 8 anos. Devo a eles o que pode ser chamada de uma formação ou a formação em mim de um receptor para a lógica poética e a compreensão profunda de que ela está em oposição ao Logus industrial".

Desse universo, nasceu uma literatura marcada pela erudição e pela constante citação de outros poetas e artistas, como no próprio título de sua nova obra. Ao mesmo tempo sua poética não se afasta das questões ambientais e sociais do município, mas, ao invés de recorrer a uma já desgastada "literatura de denúncia social", o autor prefere utilizar esses elementos em uma linguagem simbólica, muitas vezes localizando seus personagens, geralmente outros escritores e artistas, em sonhos, como na prosa poética "Sonho":

"Thomas Bernhardt está sentado na cama ouvindo Brahms, Brahms atravessa a árvore e todas as possibilidades tentam um símile do Real como no Poema sobre Dante de Hans Magnus Ezsenberger onde Thomas Benhardt é ao mesmo tempo Dante e a árvore transformada em Brahms saindo dos dedos de Nélson Freire e preenchendo o quarto até que Marcelo Ariel desperte no mesmo não-lugar atemporal dos Nomes-Nume lendo a árvore".


Impressões – Além de parceira em alguns textos, Beatriz Bajo também revisou o livro para a coleção, o que a fez ter um contato estreito com os poemas de Ariel nos últimos meses. Para ela, a obra do autor cubatense apresenta uma unidade desde o primeiro livro, como se forse um manancial do qual ele vai tirando poemas: "Não vejo Ariel em partes. Ele não faz um livro, outro livro. A obra dele é uma coisa só, de onde vai piçando seus poemas". Ela compara a obra de Ariel com aqueles bonecas russas que vão se encaixando umas dentro das outras.

Mariana Ianelli, poeta que chega ao sexto livro, a ser lançado em junho, destaca a singularidade de Marcelo Ariel no cenário da literatura contemporânea brasileira. "A
parte sobre Emily Dickinson me surpreendeu pela delicadeza, é de um lirismo que falta hoje. É um escândalo que isso tenha sido exilado da literatura".

O autor - Nascido em Santos (SP) em 1968 e criado em Cubatão, Marcelo Ariel estreou na poesia com o livro "Me enterrem com a minha Ar-15" (Dulcinéia Catadora, edição artesanal, 2007); depois lançou os livros "Tratado dos Anjos Afogados" (Letraselvagem, 2008) e "O céu no fundo do mar" (Dulcinéia Catadora, edição artesanal, 2009). Poeta e dramartugo, Marcelo Ariel tem recebido críticas em jornais como a Folha de S. Paulo e publicado poemas em revistas literária como a Cult.

Marcelo Ariel pode ser acompanhado em seu blog http://teatrofantasma.blogspot.com; Beatriz Bajo mantém o blog Linda Graal (http://lindagraal.blogspot.com), e textos de Mariana Ianelli podem ser lidos em http://www2.uol.com.br/marianaianelli/index.htm.

Texto: Alessandro Atanes
Foto: José Mário Alves

segunda-feira, 17 de maio de 2010

CUBATÃO TEM MUITA HISTÓRIA PRA CONTAR NO DIA DO MUSEU

Uma sugestão para comemorar a data (18/5) é visitar a Biblioteca Central da cidade, Arquivo Histórico e Casa da Memória. Os espaços reúnem grande acervo de obras de arte, fotos, documentos históricos e até objetos pessoais do escritor Afonso Schmidt.

Quando se pensa em “Museu” a maioria lembra apenas de objetos antigos, um espaço de coisas “velhas”. Mas ao contrário, esse espaço significa uma oportunidade de entrar numa verdadeira máquina do tempo, nos proporcionando uma viagem pelos séculos até uma realidade que sequer sonhávamos. E Cubatão, embora não tenha um espaço de museu, tem acervo suficiente para deixar qualquer curioso de plantão animado para conferir de perto documentos, fotos e até réplicas de obras de arte.

No dia 18/5 em que se comemora o Dia Mundial do Museu, o Arquivo Histórico de Cubatão está de portas abertas com seu imenso acervo de documentos e fotografias que recontam a história de Cubatão. Algumas fotos remontam da data do fim do século XIX e reúnem famílias, personagens, paisagens da av. 9 de Abril quando ainda não havia lojas e nem tantos carros nas ruas. Todo essa material está sendo recuperado e catalogado e em breve, poderá ser exposto à comunidade.

Outra preciosidade do Arquivo Histórico é um exemplar livro “Impressões do Brasil no século XX”, editado em 1913 por Lloyd's Greater Britain Publishing Company, impresso na Inglaterra. Há também centenas de documentos de propriedade, dissertações, teses e trabalhos sobre o município de Cubatão. O Arquivo Histórico organiza estes documentos para deixá-los disponíveis aos pesquisadores, estudantes e a população em geral.


A publicação "Impressões do Brasil no século XX" está disponível no Arquivo Histórico

Sala Afonso Schmidt e Coleção de Arte – ainda dentro da Biblioteca, é possível passear pela vida e obra do grande poeta cubatense. Entre as relíquias que pertenceram ao escritor Schmidt estão o Troféu Juca Pato de “Intelectual do ano", de 1963, elevando o ilustre filho de Cubatão no campo das letras à carreira nacional; grande coleção de objetos pessoais do escritor como os óculos, chinelos, máquina de escrever, lupa, entre outros; exemplares de livros e revistas contendo informações sobre o escritor, tudo material do século passado.

Passeando pelos corredores da Biblioteca Central, é possível conferir grande acervo com reproduções de obras de arte espalhadas pelos corredores. São cerca de 70 peças, réplicas de telas como "Monalisa" (Leonardo da Vinci), "Girassóis" (Van Gogh), "Jardim das Delícias" (Bosch) entre muitos outras obras-primas de artistas como Renoir, Monet, Salvador Dali, Picasso. Tudo isso faz parte da Coleção Sesquicentenário, e estão acessíveis a qualquer visitante.

Casa da Memória – outro espaço que reúne grande parte da história de Cubatão é a Casa da Memória, situada dentro do Parque Anilinas. Reúne painéis com fotos e informações sobre a antiga Fábrica de Anilinas que funcionava no local onde hoje está instalado o Parque (e que deu o nome a ele). Possui vasto material que reconta a trajetória de uma das primeiras indústrias de Cubatão que funcionou na cidade de 1916 a 1964, quando foi desativada. A Casa da Memória está instalada em uma pequena casa de alvenaria, com varanda e janelas de madeira, que compõe um pequeno complexo de 4 construções onde viviam alguns funcionários da Fábrica, na época em que a indústria ainda funcionava.

BIBLIOTECA MUNICIPAL CENTRAL DE CUBATÃO
ARQUIVO HISTÓRICO
SALA AFONSO SCHMIDT

Av. 9 de abril, 1977
Funciona de segunda a sexta-feira das 8h às 17h
Sábados das 9h às 13h
entrada gratuita


CASA DA MEMÓRIA
Rua Assembléia de Deus, 435 - Parque Anilinas
Funciona de segunda a sexta-feira das 9h às 12h e das 14h às 17h
Entrada gratuita


Texto: Morgana Monteiro

MARCELO ARIEL LANÇA LIVRO


Escritor de Cubatão tem recebido destaque na poesia nacional

O escritor cubatense Marcelo Ariel lança nesta terça-feira (18), em São Paulo, "Conversas com Emily Dickinson e outros poemas", seu quarto livro de poesia, pela coleação Orpheu, da editora Multifoco. O lançamento ocorre no Bar Exquisito, na Rua Bela Cintra, 532. Um dos nomes que vêm recebendo destaque na poesia contemporânea nacional, Ariel costuma contar que boa parte de sua formação como leitor e autor foi feita pelos corredores e estantes da Biblioteca Municipal de Cubatão, onde escolhia livros para ler para o irmão.

Desse universo, nasceu uma literatura marcada pela erudição e pela constante citação de outros poetas e artistas, como no próprio título de sua nova obra. Ao mesmo tempo sua poética não se afasta das questões ambientais e sociais do município, mas, ao invés de recorrer a uma já desgastada "literatura de denúncia social", o autor prefere utilizar esses elementos em uma linguagem simbólica, muitas vezes localizando seus poemas e personagens em sonhos.


O autor - Nascido em Santos (SP) em 1968 e criado em Cubatão, Marcelo Ariel estreou na poesia com o livro "Me enterrem com a minha Ar-15" (Dulcinéia Catadora, edição artesanal, 2007); depois lançou os livros "Tratado dos Anjos Afogados" (Letraselvagem, 2008) e "O céu no fundo do mar" (Dulcinéia Catadora, edição artesanal, 2009). Poeta e dramartugo, Marcelo Ariel tem recebido críticas em jornais como a Folha de S. Paulo e publicado poemas em revistas literária como a Cult. Abaixo um dos poemas do livro Conversas com Emily Dickinson:

CARTA PARA A MORTE
Imagino Camões, a vala onde morto estava;
O quarto onde encontraram o cadáver de João Antônio;
O sapato que Antonin Artaud segurava;
No paletó de Garcia Lorca a flor intacta;
A cama molhada de suor do último sono de Caio F.;
O prato vazio que caiu das mãos de Óssip Mandelstam;
Os círculos na água provocados pelo corpo de Paul
Celan…

Devo parabenizá-la por estes momentos de uma estilística
sempre surpreendente,
somente às vezes ofuscada pelos lampejos precários desta
luz fraca que caminha nas capas…

Texto: Alessandro Atanes

quinta-feira, 13 de maio de 2010

AULAS DE MÚSICA NA ESCOLA, EM CUBATÃO


A partir de segunda-feira, dia 17, cerca de 50 alunos de 2 a 3 anos da creche participam do projeto-piloto Musicalização na 1ª Infância

Cerca de 50 crianças de 2 a 3 anos da UME Domingos Pucciariello, no Parque São Luiz, vão ter aulas de música a partir de segunda-feira, dia 17. A novidade faz parte do projeto-piloto Musicalização na 1ª Infância, desenvolvido pela professora Sonia Onuki, da Secretaria Municipal de Educação (Seduc). As aulas acontecerão sempre às segundas-feiras, pela manhã, das 8h às 11h.

Desde 2009, Sonia Onuki, conhecida por reger o Coral Canto Mágico da Petrobras, vem elaborando o projeto. Num primeiro momento, a maestrina reuniu-se com professores da rede municipal que possuíam habilitação em Música. Depois, verificou a disponibilidade das professoras e partiu para a escolha da unidade de ensino. Por fim, fez um estudo dos recursos disponíveis para a execução das atividades na escola.

"Graças ao envolvimento das professoras Rosely Baraçal Perez e Luciane Gouvêa Sant'Anna, que ministrarão as aulas, e do acolhimento que a escola e as funcionárias nos deram, acredito que nosso trabalho dará bons resultados", avalia Sonia Onuki.

Segundo ela, os alunos serão divididos em grupos de 10 a 14 crianças da mesma faixa etária e participarão de aulas de 30 a 40 minutos. "Nosso objetivo é trabalhar a percepção rítmica e auditiva, o movimento com ou sem locomoção e a lateralidade", explica.

Texto: Cecília Beu

quarta-feira, 12 de maio de 2010

PROGRAMAÇÃO DA VIRADA CULTURAL PAULISTA EM CUBATÃO

DIA 22/5 - SÁBADO

14h - Exposição de Criação de Moda
O desfile traz para a cidade a possibilidade de inclusão de uma nova expressão, dando a oportunidade aos criadores locais de apresentarem suas coleções e criações
Local: Kartódromo Municipal
Rua Embaixador Pedro de Toledo, s/nº - atrás da Prefeitura de Cubatão

18h – Banda Marcial
Sob a regência do maestro Alexandre Felipe Gomes, a Banda se apresenta um repertório eclético, viajando por diversas cidades do litoral e interior paulista. Já representou o Brasil no Festival Internacional de Bandas e Fanfarras, em 2004 e 2005, no Chile.
Local: Kartódromo Municipal

19h – Intervenção - Grafite com o artista Dalata
André Gonzaga (Dalata), atuante no grafite desde 1997, traz a obra artística feita ao vivo, com muita música e iluminação especial.
Local: Kartódromo Municipal

20h – Nicolas Krassik
O jovem violinista Nicolas Krassik, radicado no Brasil, apresenta neste show um apanhado de seus 4 cds, com um repertório que inclui chorinho, samba, música nordestina e canções do mais recente cd “Odilê Odilá”, em que homenagea o grande mestre da MPB, João Bosco.
Local: Kartódromo Municipal

20h – Peça “O Vendedor”
O espetáculo retrata um andarilho vendedor de gritos, que faz de tudo. Cria as mais variadas peripécias com o intuito de conseguir vender o seu produto. A criação da peça é fruto de 3 longos anos de estudos e pesquisas de Fabiano di Melo dentro do curso de Licenciatura em Artes Visuais, na Unisanta.
Local: Teatro do Kaos
Pça. Coronel Joaquim Montenegro, 34 – Largo do Sapo

21h – Máquina Zero
Banda cubatense formada em 1985. Suas letras falam sobre conflitos pessoais internos, política e questões sociais. Atualmente estão gravando o primeiro cd.
Local: Kartódromo Municipal

22h – Intervenção - Arrastão de Maracatu de Baque Virado
Resultado de oficinas realizadas no Jardim Casqueiro e Vila dos Pescadores, em Cubatão, o Arrastão do grupo Zabelê traz o verdadeiro carnaval de Pernambuco, em um movimento de fortalecimento de nossa identidade cultural.
Local: Kartódromo Municipal

22h30 - Rafael Castro e os Monumentais
Com 9 discos gravados em 3 anos, Rafael, como Jards Maclé, faz música maldita e tem em paralelo com suas chacotas, as canções mais tristes e melancólicas da história da música brasileiros dos últimos anos.
Local: Kartódromo Municipal

DIA 23/5 - DOMINGO

0h – Maxixe Machine
Formado em 1985 na cidade de Curitiba, o Maxixe Machine mescla os sambas antigos aos novos, com composições próprias, cheias de personalidade, bom humor e apelo popular.
Local: Kartódromo Municipal

9h30 – Pedalada Cultural (saída em frente ao Kartódromo)
O percurso visitará 4 pontos importantes da história de Cubatão: Biblioteca Municipal, Largo do Sapo, Cruzeiro Quinhentista e a Subida do Caminho do Mar. Em cada ponto, será apresentado um pequeno histórico do local. Ao final, os ciclistas retornam ao Kartódromo onde haverá exposição de bicicletas/ Lowbike.
Concentração às 8h no Kartódromo Municipal


12h30 – Coral da 3º Idade Raízes da Serra
Oficializado em 2005, é reconhecido e incorporado à Secretaria de Cultura e Turismo de Cubatão. Voltado para inclusão do pessoal da “melhor idade”, traz um repertório popular, com canções folclóricas, MPB e até música estrangeira.
Local: Kartódromo Municipal

13h15 – Intervenção – Hip Hop com B.Boys
O espaço estará disponível para que a galera do Hip Hop possa mostrar através desse segmento artístico contagiante, a dança de rua e suas inquietações. Teremos a participação especial do DJ Adriano, o “Jogado”.
Local: Kartódromo Municipal

14h – Juritica – Bonecões e Cabeções de Iguape
O artista popular iguapense Armando Fortes e seu amigo sebastião Maciel construíam bonecas enormese com estruturas muito pesadas, carregadas aos ombros. Nasceram, então, a “Juritica”, “Damásia” e “Tinico”. Dessa forma, foi possível dar voltas na cidade, dançandopara brincar o carnaval com essas “Juriticas”.
Local: Kartódromo Municipal

15h – Grupo Zabelê de Cultura Popular
Baseado em estudos de manifestações da cultura popular como o maracatu, coco, cavalo marinho, cacuriá, moçambique e capoeira, com textos que retratam as memórias familiares e comunitárias investigadas em pesquisa de campo, inspirado em autores que descrevem a região nordestina.
Local: Kartódromo Municipal

15h30 – Os Radiophonicos
A banda paulistana passeia e inova no surf, beat e country-rock. Comletras em português e melodias bem trabalhadas, o grupo une as experiências vividas com o estudo da essência de suas influências musicais e literárias.
Local: Kartódromo Municipal

16h30 – Intervenção – Guará
Motociclistas entrarão no Kartódromo com suas motocicletas, todos vestidos a caráter, percorrerão o circuito com buzinaço e faróis acesos. E este ano heverá uma homenagem especial ao motociclista Eduardo do Moto Clube Guará de Cubatão.
Local: Kart[ódromo Municipal

17h – Otto
O cantor, compositor, instrumentista e produtor apresenta seu novo álbum “Certa manhã acordei de sonhos intranquilos”. Natural de Pernambuco, Otto junta as influências locais, como maracatu, coco e ciranda à música eletrônica, hip-hop, pop, rock, soul, samba e bossa nova.
Local: Kartódromo Municipal

terça-feira, 11 de maio de 2010

MAESTRO ROBERTO FARIAS, 40 ANOS DEDICADOS À MÚSICA


O cubatense, que já era maestro aos 15 anos de idade, será homenageado pela Banda Sinfônica Jovem do Estado em Concerto no próximo fim de semana.

Um dos grandes nomes da música em Cubatão faz 40 anos de carreira e será honrado à altura: o maestro Roberto Farias será homenageado pela Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo durante concerto no próximo domingo (16/5) às 19h no Memorial da América Latina, em São Paulo. A iniciativa foi da maestrina Mônica Giardini, titular da Banda Jovem e um dos grandes frutos da trajetória de Roberto como professor de regência.

O concerto, intitulado “Le Banquet Céleste” – Um Encontro com Messiaen, Stravinsky, Schöenberg e Hindemith, reflete o universo sonoro pelo qual o maestro ganhou notoriedade internacional, por sua dedicação ao estudo e difusão do repertório do século XX composto para bandas sinfônicas. O programa é considerado um grande desafio para jovens músicos por conter obras de compositores importantes para a música clássica mundial.


Maestro aos 15 anos de idade

Roberto Farias poderia ter sido engenheiro ou arquiteto se prevalecesse o conceito ditado à época de sua infância e adolescência. Mas o dom musical que aos 7 anos já demonstrava, mudou completamente a visão daqueles que ainda não o apoiavam na carreira artística. Músico de tradição evangélica – seu pai era pastor, amante das letras e músico autodidata – teve a formação musical através de professores particulares, e durante a escola primária ganhava destaque tocando hinos patrióticos e canções escolares ao trompete. Aos 11 anos fez seu primeiro arranjo musical.

Em 1970 ele tomou a iniciativa de formar uma banda musical no Colégio Afonso Schmidt, em Cubatão, onde estudava. A motivação veio após notar que a escola possuía um instrumental completo para formação de uma banda, faltando apenas alguém para conduzir o projeto. No dia 4 de abril daquele ano, acontecia, então, a estréia de Roberto Farias como maestro da Banda Musical Afonso Schmidt. Roberto Farias tinha apenas 15 anos de idade. Este grupo foi, posteriormente, oficializado como Banda Musical de Cubatão, dando origem à atual Banda Sinfônica de Cubatão.




Durante os primeiros anos da carreira, Farias já produzia o próprio repertório, transcrevendo arranjos completos e obras originais, em uma época em que não existiam arranjos para banda disponíveis no mercado. Da sua sólida formação como regente inspirou-se em nomes como Paul Bernard, Williams Nichols, Gerard Devos, Fábio Mechet e o célebre Eleazar de Carvalho. Vencedor de um grande número de concursos e campeonatos de bandas em nível regional, estadual e nacional, Roberto Farias foi um dos responsáveis pelo desenvolvimento da linguagem sinfônica no Brasil, a partir do momento que se vê envolvido com o projeto de profissionalização da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, da qual foi o diretor artístico e regente entre 1989 e 2000.

Do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão ao Curso Internacional de Verão do Brasil, o maestro Roberto Farias já passou pelos mais importantes festivais de música do país como professor de regência e prática de sinfônica. Por mais de 20 anos lecionou na Universidade Livre de Música Tom Jobim, hoje a Emesp - Escola de Música do Estado de São Paulo. Já foi regente convidado de várias orquestras brasileiras, acumulando, também, atuações no exterior como na Banda Sinfônica da Universidade da Pensilvânia, da Academia da Força Aérea Norte-americana, de Montevideu e da Província de Córdoba, na Argentina, de quem é o seu atual diretor artístico.


Um regente que também compõe

Roberto Farias criou obras-primas como “Cubatão 2001 -Fantasia Sinfônica” e “Abertura Exótica”, já executada em vários países e publicada nos Estados Unidos. Mas o maestro prefere ser conhecido como um regente que também compõe: “O exercício de composição é um ingrediente imprescindível à compreensão de qualquer obra musical. É assim que vejo a música: do ponto de vista do compositor, do regente e do instrumentista. Num conceito mais sublime, é a possibilidade de um permanente diálogo com a criação musical”, afirma Roberto Farias.

Além disso, vários compositores contemporâneos têm dedicado obras a Farias, um dos mais destacados especialistas na literatura para sopros e percussão da América Latina. Dedicatórias assinadas por nomes como Alfred Reed, Mário Ficarelli, Almeida Prado, Fernando Morais, Edmundo Villani-Côrtes, entre outros. O maestro é, ainda, membro da APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte – e foi o primeiro brasileiro a integrar o Conselho Diretor da Associação Mundial das Bandas Sinfônicas.

De volta onde tudo começou - Diretor de orquestra, regente coral e instrumentista Roberto Farias atualmente é o Coordenador Técnico dos Grupos Artísticos Oficiais de Cubatão. Está à frente da Banda Sinfônica e Cia de Dança de Cubatão, Banda Marcial e Linha de Frente, Grupo Rinascita de Música Antiga, Coral Zanzalá e Coral Raízes da Serra. Para ele, é uma grande responsabilidade e prazer comandar mais de 400 artistas, entre regentes, músicos, bailarinos e cantores, que fazem arte com paixão, tornando cada vez mais evidente a vocação artística de Cubatão, cidade que em que tudo teve início.

Texto: Morgana Monteiro

quinta-feira, 6 de maio de 2010

CUBATÃO ABRE INSCRIÇÕES PARA OFICINA DE GRAFITE E PRODUÇÃO DE MUDAS NATIVAS

Os cursos rápidos farão parte da Vira Cultural Paulista. As aulas serão ministradas dias 22 e 23/5, gratuitamente.

Pela primeira vez, Cubatão participa da Virada Cultural Paulista e além das apresentações culturais, haverá uma série de atividades, entre elas, oficinas de Grafite e de Produção de Mudas Nativas. As inscrições para essas duas oficinas estão abertas e devem ser feitas na Secretaria de Cultura e Turismo (rua Assembléia de Deus, 435) das 9h às 12h e das 14h às 17h.

A Oficina de Grafite terá como professor o artista plástico Dalata. André Gonzaga ou “Dalata” atua como grafiteiro desde os anos 90 e já participou de diversas exposições nacionais e internacionais da arte. A oficina com o artista plástico durará dois dias: no primeiro, os alunos aprenderão mais sobre a técnica e a utilizar as tintas spray. As aulas acontecerão no Poliesportivo Roberto Dick, ao mesmo tempo em que as outras atividades estarão acontecendo no Kartódromo Municipal. E no segundo dia, os participantes vão decorar o muro lateral do Poliesportivo, juntamente com o artista Dalata.

Já o curso de Produção de Mudas Nativas será ministrada por participantes dos programas do Cepema-USP. Os jovens vão falar um pouco sobre as árvores nativas da região, como recolher as sementes e depois, semeá-las. Esta oficina vai acontecer no dia 23/5 às 10h e terá como ponto de encontro, o Kartódromo Municipal.

Virada Cultural Paulista: serão 24h ininterruptas de shows e atividades culturais em 28 municípios do estado e pela primeira vez, Cubatão participa dessa festa. No Kartódromo Municipal haverá shows com artistas como Otto, Banda Marcial, Máquina Zero, Coral Raízes da Serra, entre outros, tudo acompnhado de perto po intérpretes de Libras (linguagem brasileira de sinais). O espaço também estará voltado para a gastronomia, com barracas com comidas típicas, prestação de serviços à comunidade (medição da pressão arterial, confecção de documentos, corte de cabelo), exposição de artesanato, oficinas de arte e lazer para a criançada. Está previsto, ainda, uma Exposição de Criação de Moda, com as novidades fashion do mercado. O Teatro do Kaos também vai abrigar peças de teatro durante essas 24 horas. Haverá ainda a “Pedalada Cultural”, abrangendo um percurso que sairá do Kartódromo, seguindo pela av. Nove de Abril, Biblioteca Municipal, Largo do Sapo, Marco Zero, Cruzeiro Quinhentista e início do Caminho do Mar. Outras informações podem ser obtidas no site www.viradaculturalpaulista.sp.gov.br .

Serviço
Inscrições para Oficinas de Grafite e Produção de Mudas Nativas
Das 9h às 12h e das 14h às 17h
Local: Secult, Secretaria de Cultura e Turismo
Rua Assembléia de Deus, 435 – Parque Anilinas
Informações: 3362-0844 e 3362-0848

quarta-feira, 5 de maio de 2010

MINISTÉRIO DA CULTURA ABRE EDITAIS

205 iniciativas culturais serão beneficiadas com investimentos de R$ 2,8 milhões

Três segmentos beneficiados pelas políticas públicas do Ministério da Cultura, por meio da Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural, poderão participar dos primeiros editais de premiação lançados pela SID/MinC em 2010. Os prêmios, que têm como objetivo dar continuidade às ações do Ministério da Cultura, por meio da SID/MinC, para a promoção e proteção da diversidade cultural do país, somam um total de R$ 2,8 milhões em investimentos, beneficiando 205 iniciativas destes segmentos. As inscrições, para os concursos poderão ser feitas pelos Correios, por áudio, vídeo e pela internet. As inscrições online já estão disponíveis, confira no endereço eletrônico: www.cultura.gov.br/diversidade.


Dos concursos, voltados para os segmentos dos idosos, ciganos e Hip Hop, o Prêmio Cultura Hip Hop 2010 está sendo lançado pela primeira vez pela SID/MinC. O Edital Hip Hop premiará 135 iniciativas do movimento Hip Hop, com o valor de R$ 13 mil, cada, divididas em cinco categorias (Reconhecimento, Escola de Rua, Correria, Conhecimento - Quinto Elemento e Conexões), e homenageará o rapper, compositor e líder do movimento, Preto Ghóez. O Prêmio terá recursos de R$ 1,7 milhão e será realizado em parceria com a Secretaria da Cidadania Cultural (SCC/MinC), o Instituto Empreender e a Ação Educativa. As inscrições estarão abertas até 12 de julho de 2010. Acesse o sítio do Prêmio Cultura Hip Hop no endereço www.premiohiphop.org.br


O Prêmio Culturas Ciganas 2010 está em sua segunda edição e premiará 30 iniciativas que envolvam trabalhos, individuais ou coletivos, que fortaleçam as expressões culturais ciganas e contribuam para a continuidade e manutenção das identidades dos diferentes clãs e povos presentes no Brasil que somam mais de meio milhão de pessoas. O primeiro Edital de premiação para os ciganos do Brasil foi realizado em 2007, contemplando 20 iniciativas culturais do segmento. A nova edição do Prêmio Culturas Ciganas distribuirá R$ 300 mil em prêmios, sendo R$ 10 mil para cada iniciativa premiada.

O Edital Culturas Ciganas 2010 será realizado em parceria com o Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa (SGEP); com a Presidência da República, por meio da Subsecretaria de Políticas para Comunidades Tradicionais da Secretaria Especial de Promoção de Políticas para a Igualdade Racial (SEPPIR) e da Subsecretaria de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos da Secretaria Especial dos Direitos Humanos (SEDH); e com a Pastoral dos Nômades do Brasil. As inscrições podem ser feitas até 12 de julho de 2010. Mais informações poderão ser obtidas na página da SID/MinC www.cultura.gov.br/diversidade ou pelo endereço eletrônico premioculturacigana2010@cultura.gov.br.


O Prêmio Inclusão Cultural da Pessoa Idosa 2010 também está em sua segunda edição e renderá homenagem a cantora e compositora Inezita Barroso. O concurso premiará iniciativas culturais que beneficiem, diretamente, pessoas idosas. O primeiro Prêmio da SID/MinC voltado para este segmento foi realizado em 2007, premiando 20 iniciativas culturais.

O Edital disponibilizará R$ 800 mil em investimentos para a premiação de 40 iniciativas que serão contempladas com o valor de R$ 20 mil, cada uma. O Prêmio Inclusão Cultural da Pessoa Idosa 2010 - Edição Inezita Barroso será voltado para projetos desenvolvidos nas categorias de Teatro, Dança, Música, Literatura, Artes Visuais e outras formas de expressão artística. O Edital será realizado pela SID/MinC e pelo Instituto Empreender, com recursos da Petrobras por meio da Lei de Incentivo à Cultura. As inscrições se encerram no dia 31 de maio. Acesse a página eletrônica www.cultura.gov.br/diversidade para mais informações.

terça-feira, 4 de maio de 2010

IV SARAU NA PRAÇA HOMENAGEIA CAZUZA


O evento será dia 7/5 a partir das 19h na esquina das ruas Armando Sales de Oliveira e Manoel Jorge.

Cazuza viveu apenas 32 anos e por isso, permanece jovem na memória e no coração do público. Mas as suas canções amadureceram, e se tornaram clássicos da música brasileira, fazendo dele um dos grandes poetas populares do nosso tempo. E lá se vão 20 anos sem Cazuza... por isso, o pessoal do Sarau na Praça decidiu prestar uma homenagem ao cantor e compositor. A 4º edição do evento acontece nesta sexta-feira (7/5), a partir das 19h, na esquina das ruas Armando Sales de Oliveira e Manoel Jorge, no Centro de Cubatão.

Nesta apresentação, artistas da cidade estarão reunidos brindando o público com as músicas que traduzem toda coragem criativa e contundência dos versos de Cazuza. Canções que vão desde a época do Barão Vermelho, a banda de rock que ele expressou toda sua irreverência de vida e arte, até chegar à carreira solo, quando se descobriu um soropositivo, se transformando, definitivamente, em um grande intérprete dos sentimentos dos brasileiros.

Haverá música, leitura de poesias e outras performances sobre o Cazuza que já inspirou belos livros, peças de teatro e filmes. Através desta homenagem fica muito claro que com o passar dos anos, mais importante se torna a obra do poeta que sabia que a vida é breve e que o tempo não pára.

Sarau na Praça – nasceu a partir da idéia de se produzir um luau na praça Princesa Isabel, reunindo artistas da cidade de vários segmentos como música, dança, teatro, artes plásticas. A idéia é realizar uma programação mensal, transformando o evento em uma oportunidade para troca de idéias e experiências. Por conta da reforma do local original do evento (pça. Princesa Isabel), desta vez, as apresentações foram transferidas para outro local. A organização é da Manancial Produção e da artista Bel Moraes. Outras informações podem ser obtidas no www.saraunapraca.blogspot.com .

Serviço
IV Sarau na Praça em Cubatão

Dia 7/5 (sexta-feira) a partir das 19h
Local: Esquina das ruas Armando Sales de Oliveira e Manoel Jorge, no Centro

Texto: Morgana Monteiro