Seja bem vindo!



Cubatão é mesmo uma cidade incrível, com uma vocação artística surpreendente. Para mostrar tudo isso é que foi criado este espaço virtual. O blog é dedicado a toda e qualquer manifestação cultural produzida aqui. Todos os segmentos da arte reunidos sem complicação ou frescura. Entre em contato...

artesdecubatao@gmail.com



segunda-feira, 14 de março de 2011

UM MÚSICO CUBATENSE EM HOLLYWOOD

O trompista Marcelo da Silva participou de sessão de gravação nos estúdios da Sony, que produz canções para o cinema


Um músico da Banda Sinfônica de Cubatão realizou um sonho que poucos instrumentistas do mundo têm oportunidade de ver concretizado em sua jornada profissional: o trompista Marcelo da Silva participou de sessões de gravação nos estúdios da Sony, que produz as trilhas sonoras para os filmes de Hollywood. A estadia de Marcelo nos Estados Unidos durou pouco mais de um mês e incluiu, ainda, aulas com um dos maiores trompistas da atualidade, James Thatcher.

O convite para o cubatense ir até Los Angeles partiu do próprio professor norteamericano, que conheceu o trabalho de Marcelo através de outros músicos, amigos em comum. Marcelo participou de oficinas ao lado de James Thatcher, onde trouxe na bagagem truques sutis que facilitam a vida do músico e produzem uma sonoridade mais sofisticada. O músico norteamericano, com pouco mais de 50 anos, já dividiu o palco com nomes como Frank Sinatra e Michael Jackson. Uma aula de Thatcher hoje custa cerca de R$ 500,00 (U$ 300).



O músico cubatense percorreu os estúdios da Universal, Warner e participou de duas gravações na Sony, sendo que uma das trilhas era uma encomenda da Disney, para um desenho que ainda nem recebeu nome. Em outro dia, pôde acompanhar a preparação dos músicos para dar início às canções que vão compor a superprodução “Piratas do Caribe 4”. “Foi maravilhoso conhecer os músicos que fazem parte da Orquestra, pessoas de várias partes do mundo. Fiquei impressionado com o nível deles”, afirmou.

Marcelo aprendeu algumas técnicas de utilização da trompa na gravação de trilha sonora para filmes, o que é bastante diferente de tocar em uma orquestra, por exemplo. “É preciso de muita concentração, pois não podemos errar. Os estúdios pagam milhões de dólares por essas músicas e precisam de um retorno em qualidade dessas orquestras, a pressão psicológica é enorme. Além disso, fazer aulas com o Thatcher foi um sonho realizado para mim”, disse, ainda emocionado com a oportunidade.

Nascido em Cubatão, Marcelo da Silva conheceu a música aos sete anos, quando tocava corneta e trompete na fanfarra do colégio. Na adolescência, fez aulas de teoria musical e instrumentos de sopro com os maestros Roberto Farias, Sidney Gomes e Olavo Bellintani. Ainda jovem passou a integrar a Banda Sinfônica de Cubatão. Já participou de várias orquestras pelo Brasil, inclusive a Osesp. Hoje também dá aulas em projetos sociais como o Programa BEC (Banda Escola de Cubatão) e Instituto Baccareli.

Esta é a segunda vez que Marcelo da Silva vai aos Estados Unidos. Em 2009, o músico ganhou uma bolsa de estudos na Universidade de Indiana e fez um curso no nível de doutorado com o trompista Myron Bloom, um dos mais importantes instrumentistas contemporâneos. “Para mim, percorrer o mundo por causa da música é demais”, diz Marcelo.

Texto: Morgana Monteiro
Foto: Acervo do artista

2 comentários:

João Victor disse...

Que legal! Parabéns, Marcelo da Silva!!!

Pr. Carlos Roberto disse...

Grande Marcelo!

Parabéns!

Pr. Carlos Roberto

Postar um comentário